quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Parentes de irmãs achadas mortas no RJ serão ouvidos pela polícia

Parentes das irmãs achadas mortas em Belford Roxo após sair de uma casa de shows vão prestar depoimento nesta quarta-feira (27) na Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). A Polícia Civil também analisa imagens de câmeras de segurança que possam ajudar nas investigações. Os corpos de Jéssica Oliveira de Souza, de 22 anos, e da estudante Ariane Oliveira de Souza, de 19, foram encontrados neste domingo (24) com marcas de tiros e sinais de violência sexual na comunidade Gogó da Ema, após saírem de uma boate em Nova Iguaçu.

Segundo o irmão das vítimas Diego Oliveira, as duas estavam sempre juntas e costumavam ir à Rio Sampa, na Via Dutra – que liga o Rio a São Paulo. No entanto, quando saiu para trabalhar na madrugada de segunda-feira (25), percebeu que elas não haviam chegado em casa. De acordo com Diego, vizinhos disseram terem ouvido gritos de mulheres nas proximidades do local onde as vítimas moravam.
"Eu vi no Facebook que tinham encontrado dois corpos de duas garotas abraçadas. Logo pensei que eram elas, porque elas são muito unidas. Elas curtiam mais festas em casa. Mas depois começaram a curtir essa Rio-Sampa. Elas sempre iam, mas sempre voltavam", afirmou ele, que, após ver a foto das irmãs na rede social, disse querer esquecer a imagem, porque gostaria de lembrar das irmãs no cotidiano.
De acordo com o delegado-titular Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), Pedro Henrique Brandão Medina, duas linhas de investigação estão sendo fortalecidas. No entanto, elas não podem ser reveladas para não atrapalhar o trabalho da polícia. Ainda segundo o delegado, os últimos passos de Jéssica e Ariane estão sendo reconstruídos com base nos depoimentos. Um dos fatos relatados é que as duas teriam tido os telefones celulares roubados antes de entrar na casa de shows.
Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, uma perícia de local foi realizada e os agentes aguardam o resultado do laudo da necropsia. Jéssica Oliveira de Souza deixou um filho de 8 anos, que já sabe do crime, segundo a família.

Fonte: G1

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Norte-coreanos invadem salão em Londres para reclamar de anúncio com Kim Jong-un

O pôster, pregado na janela do salão M&M Hair Academy no bairro de Ealing, no oeste da cidade, trazia, embaixo da foto, os dizeres "Bad Hair Day?" ("Dia de Cabelo Feio?" em português).
O barbeiro Karim Nabbach pediu que os representantes da embaixada deixassem o local; o gerente do estabelecimento procurou a polícia.

A polícia de Londres, a Scotland Yard, disse que ouviu todas as partes envolvidas no caso, mas que não houve registro de queixa.
O salão colocou o cartaz no dia 9 de abril, e, no dia seguinte, apareceram dois homens se dizendo oficiais da embaixada e exigindo para falar com o gerente, Mo Nabbach.
Karim Nabacch disse: "Colocamos os cartazes com oferta em abril de cortes de cabelo para homens. Obviamente no noticiário corria a história de que na Coreia do Norte todos os homens tinham que adotar o mesmo corte de cabelo (o mesmo do líder, Kim Jong-un)".
"Não sabíamos que a embaixada da Coreia do Norte ficava a 10 minutos a pé do salão. No dia seguinte, eles apareceram aqui e pediram para falar com o gerente".
"Ele (o gerente) disse a eles 'veja, isso aqui não é a Coreia do Norte, é a Inglaterra, vivemos numa democracia; peço que vocês saiam do meu salão'".
Segundo os funcionários, eles não tiveram mais problemas após o incidente e o anúncio acabou se tornando em atração turística da região.
Segundo Karim, vários fregueses acharam o anúncio "hilário". Nenhum freguês pediu por um corte semelhante ao de Kim Jong-ung.
No mês passado, a Radio Free Asia, rádio independente - financiada pelo governo americano - que transmite para países do Sudeste e Leste Asiático, reportou que uma norma tinha tornado obrigatório o corte de cabelo do líder norte-coreano entre os jovens universitários do país.
Fonte: BBC

Coreia do Sul usa luz especial para buscar sobreviventes de naufrágio

Mergulhadores de um grupo das forças especiais sul-coreanas inspecionavam nesta quarta-feira (16) com a ajuda de uma iluminação especial a balsa que naufragou na Coreia do Sul em busca de sobreviventes. A embarcação com 459 pessoas a bordo virou na costa meridional do país. 

Já é noite na Coreia do Sul, o que torna os trabalhos mais complicados.
O governo local confirmou a morte de quatro pessoas, incluindo um estudante e uma mulher que integrava a tripulação, mas o balanço de vítimas pode aumentar consideravelmente. No total, 291 pessoas estão desaparecidas.
A maior parte dos passageiros era de estudantes do ensino secundário que estavam de férias.
"Temo que existam poucas possibilidades de encontrar com vida os que ainda estão presos dentro da balsa", disse Cho Yang-Bok, um dos coordenadores das tarefas de resgate.
Em um primeiro momento as autoridades anunciaram que 368 pessoas haviam sido resgatadas, mas depois retificaram a informação e confirmaram o resgate de 164, explicou Lee Gyeong-Og, vice-ministro de Segurança e Administrações Públicas.
As autoridades temem que centenas de pessoas tenham ficadas presas na balsa, que virou e afundou perto da ilha de Byungpoong em apenas duas horas após o envio do primeiro sinal de socorro, às 9h (21h de Brasília, terça-feira).
Imagens aéreas exibidas na televisão mostraram os passageiros com coletes salva-vidas em botes infláveis. Alguns escorregavam pelo casco da embarcação, totalmente inclinada, enquanto outros eram resgatados por pequenos barcos de pescadores.
A balsa seguia para a ilha de Jeju, um complexo turístico muito popular. Entre os passageiros estavam mais de 300 estudantes e 14 professores de uma escola secundária de Ansan, uma cidade ao sul da capital Seul, que estavam de férias.
Pelo menos 78 resgatados eram estudantes.
"Sinto uma dor profunda ao ver que estudantes que estavam em uma viagem sofreram este acidente trágico. Quero que coloquem toda a energia em sua missão", disse a presidente Park Geun-Hye durante uma visita ao centro de coordenação de emergências em Seul.
Os pais dos alunos se reuniram na escola de Ansan à espera de notícias e tentavam entrar em contato com os filhos.
Várias pessoas foram resgatadas por barcos de pesca e navios mercantes que estavam na região antes da chegada da guarda costeira.
Também participaram no resgate mergulhadores e forças especiais da marinha.
"Há muito barro na água e a a visibilidade é muito escassa", disse o vice-ministro.
A balsa, uma embarcação de 6.825 toneladas, zarpou do porto de Incheon na terça-feira à noite, mas começou a registrar problemas depois de percorrer 13 milhas (20 km), diante da ilha de Byungpoong.
As causas do acidente são desconhecidas, mas alguns sobreviventes afirmaram que a balsa parou de repente, como se tivesse encalhado, apesar das condições meteorológicas favoráveis.
O barco inclinou mais de 45 de graus e em seguida virou quase por completo. Apenas uma pequena parte ficou de fora da água.
A temperatura da água era de 12 graus centígrados.
O tráfego marítimo entre a Coreia do Sul e suas múltiplas ilhas é muito intenso e os acidentes são raros, mas em outubro de 1993 quase 300 pessoas morreram no naufrágio de uma balsa.

Fonte: G1

quarta-feira, 9 de abril de 2014

PADRASTO TARADO É ESTUPRADO NA PRISÃO EM BRASÍLIA DF


Um caso de um padrasto que estuprou o enteado de 1 ano e 8 meses que aconteceu no fim de março deixou a população de Brasília indignada. O professor de jiu-jitsu Daryell Dickson Menezes Xavier espancou e estupro o enteado no fim de março em Taguatinga cidade satélite de Brasília. 

No dia 1º de abril o estuprador se apresentou com advogados a polícia foi ouvido e esta cumprindo prisão temporária de 30 dias. A mãe da criança publicou vários desabafos aqui no facebook vejam, "Agora nesse momento eu abro minha boca a todos! Não amenizei minha dor, mas comecei a fazer justiça à minha própria paz, ao meu próprio coração. Cara a cara com o assassino do meu neném! Eu o repudio!", escreveu. Ela ainda disse, "Eu entreguei minha vida e a do meu filho pra esse homem cuidar, eu acreditei no amor e na bondade dele, eu o apoiei, eu o amei, e aceitei seus defeitos sem saber que ele era algo muito pior, minha família inteira se encantou por ele, fomos acolhidos e acolhemos ele e seu filho", relata Gabrielle Estrela no texto. Fotos divulgadas hoje mostram o autor sendo medicado após ter sido estuprado e segundo informações ainda com pontos no fiofó ele foi abusado de novo na cadeia por presos revoltados com ele... Na delegacia, Daryell disse a ex esposa que estava possuído pelo demônio quando isso aconteceu. Apesar dele ter falado isso e agentes terem ouvido isso não pode ser acrescentado ao depoimento somente se ele declarar por escrito... Informações deram conta que na cela onde estava ele disse que era professor de jiu jitsu e que se caso alguém fizesse graça poderia se dar muito mal, ao que parece uns 20 juntarem nele e fizeram um estrago no autor. 

Fonte: combatepolicial.com

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Empresa cria arma inteligente; saiba como funciona

Uma fabricante de armas alemã começou a vendar suas primeiras unidades da smartgun (arma inteligente), a Armatix iP1, no estado americano da Califórnia. Segundo o site Business Insider, a arma –  uma pistola calibre .22 com capacidade de 10 tiros – funciona apenas com o uso de um relógio, o iW1 Active Rfid.
O relógio usa um processador que também está dentro da arma, os dois se comunicam; se o relógio não estiver perto da arma ela não dispara. Quando o relógio está próximo da arma aparece uma luz verde, indicando ao seu dono que pode efetuar o disparo. O iW1 Active Rfid também pode funcionar com senha (PIN Code) impedindo seu uso e pode travar a arma por timer, selecionando o tempo que ela não pode disparar.
Está não é a primeira investida em smartguns. O investidor Ron Coway ofereceu em janeiro um prêmio de US$ 1 milhão para quem criasse uma inovação em tecnologia dos dispositivos. A NRA (Associação Nacional de Rifles) se posicionou contra este tipo de arma por usar “tecnologia cara” antes de seu uso. 
Fonte: Terra

Menino de 9 anos com problemas mentais é morto pelos vizinhos no PR

Uma criança de nove anos foi encontrada morta na noite de quinta-feira (20) em um rio nos fundos do jardim Vista Bela II, em Paiçandu, noroeste do Paraná. 

O garoto foi estrangulado e afogado, e o corpo foi encontrado coberto por pedras e lajotas em um ponto raso do riacho. 

Segundo a Polícia Civil, os autores do crime são vizinhos da vítima. Lucas Monteiro Alves, de 19 anos, foi preso e confessou o assassinato, que também teria contado com a participação de dois menores, de 12 e 17 anos. Eles confessaram ter usado drogas antes do crime. 

Em depoimento, Lucas disse à polícia que se irritaram com a criança, que tinha problemas mentais (frequentava a APAE) e teria invadido a casa de um deles.

Fonte: Catve.tv

Polícia desarticula a 'gangue da marcha ré' em três cidades do DF


Mais de 130 policiais civis foram às ruas, nesta manhã de sexta-feira (21/2), para cumprir 20 mandados de prisão e nove de busca e apreensão, na operação que desarticula a conhecida “gangue da marcha ré”, que tem espalhado insegurança aos brasilienses nos últimos meses. Usando um carro, os bandidos atingindo as grades das lojas com a traseira do veículo, até que conseguissem arrombá-las.

Até por volta das 8h30, a Polícia Civil havia informado que 15 pessoas haviam sido presas, contudo, em coletiva, a polícia informou que 13 suspeitos foram presos, entre eles, quatro adolescentes. A ação da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (DRF), com apoio da DCA 2, é realizada em Ceilândia, Taguatinga e Samambaia. Desde novembro do ano passado até janeiro, calcula-se que o grupo tenha praticado 19 arrombamentos a estabelecimentos.

Segundo a investigação, iniciada no mês passado, o grupo era integrado, entre outros, por pequenos traficantes de drogas e moradores de rua, aliciados a participar dos furtos. Entre os estabelecimentos alvo do grupo há lojas de informática, mas a maioria é de lojas de equipamentos eletrônicos.  

De acordo com a polícia, um dos últimos crimes cometidos pela gangue, antes da prisão, ocorreu na madrugada de hoje: alguns integrantes da quadrilha arombaram uma loja de costuras, em Ceilândia. 


O método rudimentar de ação chamou a atenção dos investigadores, em um crime sempre praticado da mesma forma: em poucos minutos, após o peculiar arrombamento com a traseira do carro, conseguiam levar vasta quantidade de objetos. Mesmo sem serem considerados pela polícia como um grupo organizado, os suspeitos centravam as ações nas três cidades onde os mandados são cumpridos nesta manhã.

Grande parte dos investigados reside da QNN 3 a 7 e na QNO 19, em Ceilândia. Os presos devem responder à Justiça por formação de quadrilha, qualificada pelo emprego da arma de fogo; furto circunstanciado, em razão dos arrombamentos; e concussão de pessoas, além de corrupção de menores.

Ousadia
Uma das atuações da gangue ocorreu em Taguatinga Norte, no início do mês. Três criminosos arrombaram uma loja de artigos esportivos na CNB 5 e deixaram um prejuízo de R$ 12 mil. No último dia 12, o alvo foi uma escola de informática e idiomas em Taguatinga, de propriedade de uma tia do administrador Leonardo Almeida Monteiro, assassinado em uma tentativa de assalto, no último dia 29 de janeiro, em frente ao prédio onde morava, em Águas Claras. Cinco pessoas em dois carros deram marcha ré três vezes e conseguiram derrubar apenas a porta de ferro, mas foram embora assim que o alarme disparou. Toda ação foi filmada pelas câmeras de segurança.

Em janeiro, a quadrilha também arrombou a porta de uma loja de eletrônicos e furtaram tablet, celulares e aparelhos de som. Um vigilante que estava no local acabou ameaçado. Duas padarias em Vicente também foram alvos dos bandidos em novembro de 2013.

Fonte: Correio Braziliense

Polícia Militar do DF prende militares suspeitos de insuflar operação tartaruga

O Comandando da Polícia Militar informou que a corregedoria da PM cumpre, na manhã desta sexta-feira (21/2), alguns mandados de prisão contra militares suspeitos de insuflar os colegas a participar da operação tartaruga. Os nomes dos policiais ainda não foram divulgados. O corregedor da Polícia Militar dá mais informações sobre as prisões, em coletiva, na tarde de hoje. 

Após a operação tartaruga, realizada em outubro para reivindicar melhorias salarias para PMs e bombeiros, o governador Agnelo Queiroz assinou, na noite da última terça-feira (18/2), os decretos que estabelecem melhorias para a categoria, para os que estão na ativa e na reserva. O valor do auxílio-alimentação passou para R$ 850 e entrará em vigor a partir de 1° de maio. O reajuste auxílio-moradia está distribuído em três etapas anuais a partir de próximo setembro.

Apesar do acordo feito entre o comando da Polícia Militar e o GDF, a Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares do Distrito Federal (Aspra-DF) não concordou com o reajuste. Nessa quinta-fiera (19/2), Policiais e bombeiros militares realizaram passeata na Esplanada dos Ministérios para pedir isonomia salarial com outras categorias da segurança pública.

Fonte: Correio Braziliense

Polícia da Austrália prende 16 brasileiros suspeitos de tráfico

A polícia da Austrália prendeu 16 brasileiros acusados de envolvimento em um esquema de tráfico de drogas do Brasil para a Austrália. A prisão de grande parte do grupo ocorreu em Gold Coast durante a operação "Lima Exposure", que teve início em novembro de 2012 e foi divulgada oficialmente na quarta-feira (19).

Com os brasileiros foram apreendidos 14 kg de cocaína, informou a Polícia Nacional Australiana. Eles seriam estudantes e portavam ainda cerca de 5 milhões de dólares australianos.

Conforme o jornal australiano "Gold Cost Bulletin", três dos brasileiros presos seriam mulas e portavam a cocaína em mochilas escolares. Dois deles teriam sido presos em novembro e outro, em janeiro, com idades entre 19 e 26 anos. No total, 23 pessoas foram detidas na opeação.
O Itamaraty informou que foi comunicado da prisão dos brasileiros na quarta-feira e que avisou familiares de alguns estudantes no Brasil que pediram assistência. O consulado brasileiro em Sydney deslocou um funcionário para obter informações junto aos autoridades australianas.
Segundo o Itamaraty, há a informação de que ao menos um dos brasileiros detidos já foi liberado e estaria esperando o andamento do caso. Alguns dos brasileiros brasileiros já teriam sido libertados. Não há a informação de se eles puderam deixar ou não a Austrália.

Tráfico via aeroportos
Em anúncio oficial, a Polícia de Queensland informou que a operação foi a maior realizada contra importação de drogas em Gold Coast, iniciada em novembro de 2012 após suspeitas de distribuição de cocaína na região.

A investigação contou com participação da Polícia Federal da Austrália e o Serviço de Proteção de Fronteiras do país, que descobriu um grande número de brasileiros supostamente envolvidos em um esquema de importação de cocaína para a Austrália pelos aeroportos de Sydney e de Brisbane, que ficam próximos de Gold Coast.

A droga foi encontrada em mochilas que estavam em posse dos brasileiros. Eles teriam sido recrutados para o transporte da cocaína para a Austrália.
O governo australiano informou que pediu a prisão de outros brasileiros envolvidos no esquema e que não estão agora na Austrália.
Fonte: G1

Déficit da conta externa em janeiro é o maior da história, diz Banco Central

A conta de transações correntes do Brasil com outros países, um dos principais indicadores da situação da economia brasileira, fechou janeiro de 2014 com déficit de US$ 11,6 bilhões, recorde histórico. O número foi divulgado nesta sexta-feira (21) pelo Banco Central (BC).
Para chegar a esse valor se somam os resultados da balança comercial (saldo entre importações e exportações) e de outras operações não comerciais que impliquem entrada ou saída de capitais (serviços e rendas).

O déficit registrado no mês passado é um pouco maior que o de janeiro de 2013, que foi de US$ 11,3 bilhões. Supera também a previsão do próprio Banco Central (US$ 11 bilhões). O chefe do departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disse que, apesar do déficit histórico, a expectativa é que saldo melhore em favor do Brasil a partir do segundo trimestre do ano.

Ainda de acordo com Maciel, o déficit de janeiro foi influenciado principalmente pela remessa de lucros e dividendos pelas empresas ao exterior, que somou US$ 2,5 bilhões no mês passado. Esse movimento, disse o diretor do BC, pode estar ligado a três fatores. Um deles é a expectativa das empresas de que o dólar vai continuar se valorizando em relação ao real. Essa previsão leva à antecipação do envio dos lucros já que, no futuro, isso pode ficar mais caro.

Outros fatores de influência são o crescimento da economia em 2013 e o aumento do estoque de investimento estrangeiros direto no país – a alta da presença de capital estrangeiro se reverte, em algum momento, na remessa dos lucros desses investimentos ao exterior. Só no ano passado, a injeção de investimentos estrangeiros no país somou US$ 64 bilhões.

Ainda de acordo com dados do Banco Central, o investimento estrangeiro direto no Brasil somou em janeiro US$ 5,1 bilhões. Esse valor é 37,8% maior do que o registrado no mesmo mês do ano passado (US$ 3,7 bilhões). Para 2014, a projeção do BC é que o investimento direto chegue a US$ 63 bilhões, US$ 1 bilhão a menos que em 2013.
Fonte: G1

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Documentos apontam condição insalubre e contaminação de beagles do Royal

USP, Unicamp e Unesp compraram os cães legalmente para testes de odontologia e disfunção erétil, entre outros

Quase três meses depois da invasão do Instituto Royal, quando ativistas retiraram 178 beagles do laboratório em São Roque, interior de São Paulo, o Ministério Público se aproxima de ter uma conclusão sobre as denúncias de maus-tratos contra os animais. O iG teve acesso a cópias dos relatórios da veterinária e do biólogo que foram convidados pelo órgão para fazer uma vistoria no local em 2012 e 2013, além de cópias de papéis – a que ativistas tiveram acesso em outubro – que mostram a contaminação dos cachorros por doenças por causa das “condições insalubres” em um dos canis.
De acordo com os documentos que constam no inquérito civil, que segue em segredo de Justiça sob supervisão do promotor Wilson Velasco Júnior, “o canil estoque” era o setor problemático dentro do Instituto Royal. O local abrigava os beagles que já tinham sido desmamados, mas ainda seriam usados em experimentos. Assinado em 18 de março de 2013 pelo biólogo Sérgio Greif, ativista dos direitos dos animais, o texto diz que o ambiente tinha condição “estressante e insalubre”.
Nesse ambiente, os beagles permaneciam em gaiolas dispostas lado a lado em salas fechadas, onde o odor de fezes e urina era forte. No relato, o profissional diz que era possível sentir o cheiro já no "meio externo", no pátio da recepção do Instituto. "O latido de um indivíduo incita todos os demais a latir, criando uma condição estressante e insalubre”, explica o profissional no documento.
“As gaiolas são colocadas a uma distância do chão, de modo a facilitar a limpeza, no entanto, por ocasião da inspeção, verificou-se que na sala onde estavam abrigados os machos o piso das gaiolas já se encontrava sujo de fezes e pisoteado pelos animais, e seria naquele local que os cães passariam a noite, ou seja, os cães necessariamente teriam de dormir sobre as próprias fezes”, afirma o parecer. Também segundo Greif, durante o dia os animais do “canil estoque” só tinham acesso a uma área de recreação coberta e, portanto, tinham contato com luz natural por meio de janelas em vez de “banho de sol”.
Coincidentemente, os documentos acessados pelos ativistas em 18 de outubro mostram que, em janeiro de 2013, vários beagles estavam contaminados com giárdia, um protozoário que ataca o intestino e se espalha para outros animais, principalmente pelo contato com as fezes. O protozoário também pode infectar humanos.
As conclusões de Greif confirmam uma situação que já tinha sido constatada em 2012, quando o Ministério Público solicitou a ajuda da veterinária Rosângela Ribeiro, gerente de programas veterinários da WSPA (Sociedade Mundial de Proteção Animal). No parecer de 14 de agosto de 2012, ao qual o iG teve acesso, Rosângela também critica o "canil estoque". “(Os cachorros) começavam a latir muito, demostrando um grande estresse físico e psicológico. Um dos funcionários me ofereceu um protetor auricular, demostrando que aquele local tinha problemas constantes com o barulho causado pelo latido e vocalização crônica dos cães ali albergados. Sendo esse um forte indício de estresse físico e psicológico e sofrimento”, explica no texto ao Ministério Público.
Em julho de 2013, após os relatórios de Rosangela e Greif, o Ministério propôs que o Instituto Royal assinasse um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para, entre outros pontos, ser suspenso o uso de gaiolas no setor estoque. Em setembro, os advogados do Royal aceitaram firmar o termo e se comprometeram a reformar o local, substituindo as gaiolas por baias, como acontecia no setor maternidade e experimental.
Doações, vendas e eutanásia
Apesar de os documentos acessados pelos ativistas não deixarem claro todos os procedimentos que eram feitos nos beagles, alguns papéis citam que parte dos animais havia passado por estudo de “lodenafila”, substância usada, principalmente, para tratamento de disfunção erétil. Os mesmos documentos mostram que a Royal vendia legalmente alguns beagles para professores e pesquisadores externos.
A reportagem teve acesso a contratos de venda que mostram que, entre agosto de 2010 a maio de 2013, 69 cachorros foram comercializados com acadêmicos ligados a universidades particulares e públicas, como a Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade Estadual Paulista. Desse total, 51 foram comprados por pesquisadores da área de odontologia, 15 por professores ou doutorandos da área de veterinária e três por um médico que tem como tema de estudo a disfunção erétil.
m agosto de 2010, por exemplo, uma professora da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP adquiriu 15 beagles por aproximadamente R$ 29 mil. Os animais foram entregues ao Departamento de Patologia Veterinária, o que significa que eles podem ter passado por experimentos sobre doenças aos quais os próprios animais estão sujeitos.
Mas os beagles não saíam apenas para experimentos. Como foi divulgado pelo instituto na época da polêmica, alguns dos cães também era doados para pessoas que quisessem cuidar deles. Com indicação de conhecidos, o Royal entregava os cachorros que tinham sido usados em experimentos, mas cujo protocolo não obrigava sacrifício.
Além disso, há registros de doação de cães que tinham tido a função de “matrizes” - ou seja, gerar ninhadas -, de cachorros que estavam “irremediavelmente debilitados” e, ainda, de animais que já não tinham mais idade para venda. Em um dos documentos do inquérito, o Instituto Royal afirma que, em média, 17 cachorros eram doados por ano. Por outro lado, no período de 2011 e 2012, pelo menos 40 cães, 12 coelhos, 150 camundongos e 500 ratos foram submetidos à eutanásia dentro do Royal.
Outro lado
iG procurou o Instituto Royal, mas, depois que o laboratório fechou, ninguém quis responder as informações obtidas pela reportagem. Já Marcelo Marcos Morales, coordenador do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea) na época da invasão do Royal, criticou o biólogo e a veterinária convocados pelo Ministério Público para fazer o relatório.
“Não tinha indício de maus-tratos. O que aconteceu? Fizeram uma denúncia e o promotor de São Roque colocou uma pessoa lá. Uma que se diz cientista, não é cientista, é bióloga. Tinha uma coisa muito tendenciosa nesse inquérito. Não havia nenhuma irregularidade. São coisas que são da cabeça deles (veterinária e biólogo)”, explica.
Morales admitiu, no entanto, que o Concea não verifica se os laboratórios que pedem credenciamento para fazer experimentos com animais cumprem o que diz a Lei Arouca, como é chamada a legislação, de 2008, sobre o uso de animais no ensino e na pesquisa. “Partimos do princípio de que os laboratórios estão de acordo com os documentos entregues ao Concea. Se há alguma denúncia, e isso é comprovado, então o laboratório fica em maus lençóis”, argumenta.
Fonte: IG

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Governo expulsou 529 servidores federais em 2013 por irregularidades

O governo federal expulsou de seus quadros um total de 529 servidores públicos em 2013, segundo relatório divulgado pela Controladoria-Geral da União (CGU) nesta segunda-feira (13). Em 2012, 506 servidores foram punidos. De acordo com o órgão, responsável pela fiscalização interna no Executivo, as punições são aplicadas por envolvimento de funcionários em diversos tipos de irregularidades, principalmente relacionadas a corrupção.
Dos servidores expulsos em 2013, 429 concursados foram demitidos, 49 funcionários comissionados foram destituídos dos cargos e 51 tiveram a aposentadoria cassada.
Segundo o relatório, o Rio de Janeiro é o que mais registrou expulsões em 2013, com um total de 95 casos, contra 108 em 2012. Em seguida vem o Distrito Federal, com 94 expulsões, e São Paulo, com 50.
Ministérios da Previdência Social (138), da Justiça (115), da Fazenda (86), da Educação (76) e da Saúde (24) lideram o ranking de servidores expulsos no ano passado.
A CGU possui em cada ministério uma unidade do Sistema de Correição da Administração Pública Federal, parte da atuação da CGU no combate à impunidade na esfera administrativa pública. Cada ministério pode analisar casos de expulsão de servidores, mas casos considerados 'delicados' ou 'complexos' são conduzidos pela própria CGU.
Fonte: G1


terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Criança do DF morta após suposta agressão será sepultada nesta terça

O corpo de Ana Luiza Vitória Cordeiro Dias, que morreu no último sábado (4) após suposto espancamento, será sepultado nesta terça-feira (7). O enterro está marcado para as 17h30 no cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul, em Brasília. O velório está prevista para começar às 14h.
A menina, que completaria 3 anos nesta terça, morreu 24 horas depois de dar entrada em um hospital particular da Asa Sul com uma lesão na cabeça. Segundo a polícia, a criança chegou a relatar ao médico que havia apanhado de um tio.
O caso está sob investigação da 20ª DP, no Gama, região onde Ana Luiza morava. Familiares da menina e funcionários da creche frequentada por ela já foram ouvidos pela polícia.
Um dos que prestaram depoimento foi o tio da garota que a levou para a creche. Ele foi liberado depois de falar com a polícia por não haver flagrante.
A vítima foi levada ao hospital com um coágulo na cabeça. Na segunda (6), a Polícia Civil informou que o médico que prestou o atendimento constatou que a criança havia sofrido agressão.
A menina foi internada para observação por volta das 15h30, mas não resistiu aos ferimentos. O laudo do Instituto Médico Legal (IML) deve ficar pronto em 30 dias.

Fonte:G1

Com 106 cm, russa é eleita 'miss pernas mais longas'


A russa Anastasia Strashevskaya, de 18 anos, foi eleita "Miss pernas mais longas" em uma pesquisa online, segundo a imprensa local.


As pernas da jovem medem 106 centímetros, e a altura total dela é 1,79 metro. Anastasia pesa 52 quilos.

Moradora da cidade de Novosibirsk, na Sibéria, e estudante de direito, ela tenta agora se eleger Miss Rússia.

Pela eleição como "miss pernas mais longas", Anastasia ganhou um prêmio equivalente a US$ 2.750 (R$ 6.490), desbancando outras 52 concorrentes.
Com o dinheiro, ela disse que pretende comprar um presente para os pais e também fazer uma doação para crianças com câncer.
Anastasia afirmou, ainda, que não pretende abandonar o direito, apesar das ofertas para trabalhar como modelo.

Outras categorias em disputa na pesquisa online eram "Miss biquíni", "Miss loira", "Miss morena", "Miss sorriso" e "Miss esporte".

Fonte: G1