terça-feira, 29 de outubro de 2013

Marido de policial militar é decapitado em Realengo, na Zona Oeste do Rio

Um homem foi brutalmente assassinado na madrugada desta terça-feira (29) em Realengo, na Zona Oeste do Rio. Segundo policiais militares, João Rodrigo Silva Santos, de 35 anos, foi decapitado e sua cabeça deixada na porta da casa da esposa dele, PM que trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Mangueira, na Zona Norte.
A cabeça da vítima foi deixada dentro de uma mochila em frente ao número 19 da Rua Laura Dias, onde o casal residia, por volta das 6h. Não há informações sobre as motivações do crime.

As primeiras informações coletadas por agentes do 14º BPM (Bangu) dão conta que traficantes das favelas Minha Deusa, Vila Vintém ou Curral podem ter cometido o crime. A Polícia Militar procura os responsáveis.
Policiais da Divisão de Homicídios (DH) foram para o local para realizar perícia.
Chacina em Realengo
Esse é, pelo menos, o segundo crime brutal em Realengo em menos de uma semana. Na quinta (25), sete pessoas foram mortas a tiros de fuzil e pistola em uma casa, supostamente utilizada para consumo de drogas. A Divisão de Homicídios investiga os responsáveis pela chacina, que teriam invadido a casa encapuzados.

Fonte: G1

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Casa onde ocorreu chacina era ponto de uso de drogas, dizem parentes

Homens encapuzados invadiram uma casa em Realengo, na Zona Oeste do Rio, na quinta-feira (24), e assassinaram sete pessoas a tiros de fuzil e pistola. Segundo parentes e vizinhos das vítimas, o imóvel era usado como ponto para consumo de drogas. Agentes da Divisão de Homicídios assumiram a investigação do caso.
Como mostrou o Bom Dia Rio, parentes e amigos das vítimas estavam abalados e chegavam a todo momento para fazer o reconhecimento dos corpos.

Cinco homens e duas mulheres morreram na chacina. Luan Santos da Cunha e Cleiton Guimarães - que não tiveram as idades divulgadas, Leandro Marcos Pereira, de 24 anos, Alex Prudêncio de Amorim, de 28, Amanda Silva, de 27 anos e o casal Toni Anderson Damásio Alves, de 37 anos, e Renata Soares da Silva, de 30 anos, que eram os donos da casa.
Segundo testemunhas, o crime teria sido cometido por homens encapuzados que chegaram no local por volta das 21h desta quinta-feira (24). Eles teriam subido em uma van, que já estava estacionada na calçada, para pular o muro e entrar na casa.
O imóvel, segundo relato de vizinhos e parentes das vítimas, era usado como um ponto de consumo de drogas. Assim que soube do crime, o tio de Toni Anderson Damásio Alves correu para o local.
“O Toni é uma vítima. Não teve talvez o que é necessário para todos nós crescermos na nossa existência de vida. E ele se deixou levar. Mas independente disso não era uma pessoa violenta. Era uma pessoa calma e bem respeitadora. Era usuário de droga? O que se sabe é que sim. Ele era usuário”, contou Derval Antonio Gonçalves, tio de Toni.
De acordo com a polícia, as vítimas foram colocadas juntas na varanda da casa e executadas com tiros de fuzil e pistola.
“Nas primeiras 48 horas a gente não tem como descartar nenhuma linha de investigação. A possibilidade de cobrança de dívidas de traficantes é uma hipótese que vai ser investigada? É uma hipótese, mas as outras não estão descartadas”, afirmou o delegado Pablo Rodrigues.

Fonte: G1

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Não me arrependo porque fiz por amor', diz garota sobre vídeo de sexo

A estudante de 19 anos que teve vídeos íntimos divulgados em um aplicativo de celular e nas redes sociais diz que sua vida “virou um inferno”. Parou de estudar e de trabalhar desde que o caso ganhou repercussão, no início do mês. Ela só sai de casa para conversar com advogados sobre o processo que move contra o suspeito de divulgar as imagens, com quem a jovem diz ter se relacionado por três anos. “Não me arrependo porque fiz [o vídeo] por amor, com uma pessoa que eu amava e em quem eu confiava. Só que isso não deveria ter sido mostrado para ninguém”, disse a jovem, em entrevista exclusiva ao G1 e à TV Anhanguera, na manhã desta quarta-feira (23), em Goiânia.
Abalada e com o visual diferente, para não ser reconhecida nas ruas, ela conta que está há praticamente 20 dias sem sair de casa. A estudante, que era vendedora em uma loja de roupas, resolveu falar publicamente sobre o caso, que ela considerou "humilhante", porque, segundo ela, está sendo condenada por muitas pessoas que não conhecem toda a história.
“Eu não cometi nenhum crime. Mas pessoas me ofendem virtualmente e moralmente. Muita gente me chamou de vadia, prostituta. Um homem chegou a me mandar uma mensagem falando que viria a Goiânia no final de semana e que me pagava R$ 10 mil para sair com ele”, afirma.
A situação chegou ao ponto de influenciar as colegas de trabalho. “Chegavam na loja e ofereciam programa [sexual] pra elas”. Ela foi afastada do trabalho até que a situação se acalmasse. No entanto, a vendedora não sabe se voltará. “Gosto muito de trabalhar lá. Mas não sei quando conseguirei voltar”.
O curso de design de interiores em uma escola particular de Goiânia também foi abandonado. “Meus professores e meus colegas conhecem minha índole. Eles estão me ajudando e estou recebendo as aulas por internet. Não vou parar de estudar”.
A vendedora ressalta que vai ser difícil retomar sua rotina: “Queria ter minha vida de volta. Eu morri em vida. Vai ser um trauma que eu vou levar para a vida toda”.
Ela registrou um boletim de ocorrência no último dia 3. A Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), em Goiânia, está investigando o caso, que ganhou grande repercussão na internet. "Acho que nem ele [ suspeito] imaginava que fosse tomar essa proporção. Não tem como controlar e estipular quantas pessoas viram. Não tem como pegar o celular de todo mundo e apagar", disse. Ela pede que as pessoas denunciem o link do vídeo para que as imagens sejam retiradas da web.
Além do apoio de familiares e amigos, a estudante afirma que as redes sociais têm ajudado a “erguer a cabeça”. “Criaram páginas de apoio. São mais de 35 mil pessoas me dando força, enviando mensagens, até gente de outros países. Inclusive, outras pessoas que passaram por situação parecida dão o seu depoimento. Do mesmo jeito que tem gente me criticando, tem gente me apoiando”.
Vídeos Nos vídeos divulgados em mensagens de celular e na web, é possível ver a estudante em atos sexuais. O caso ganhou repercussão e virou meme [termo usado para frases, imagens e vídeos que se disseminam na internet de forma viral] nas redes sociais.
As gravações se propagaram rapidamente pelo aplicativo de celular. Em um dos vídeos, a jovem aparece fazendo um sinal de 'OK'. O símbolo virou piada nas redes, com montagens de políticos. Fotos de celebridades fazendo o sinal de OK também começaram a ser usadas pelos internautas. No entanto, algumas imagens teriam sido tiradas antes da polêmica e não se referem ao caso
A estudante conta que ficou sabendo do vídeo por uma amiga, no dia 3 de outubro, enquanto trabalhava. “A primeira coisa que eu fiz foi ligar pra ele [suspeito]. Ele negou e disse que ia me ajudar a descobrir quem foi”.
No entanto, para a estudante, não há dúvida de que foi o ex quem divulgou, pois há anos era a única pessoa com quem se relacionava e com quem já tinha gravado vídeos íntimos. “As imagens ficavam dentro de uma pasta no celular, que fica dentro de outra. Para entrar nas duas é preciso de senha que só ele sabe”, ressalta.
A garota lembra que o vídeo já tinha se espalhado quando ela teve conhecimento: “Eu só chorava”. Ela afirma que no dia seguinte procurou a delegacia para registrar a ocorrência.
“Meu celular resetava de tantas ligações. Meu Whatsapp [aplicativo de celular para envio de mensagem] parecia uma calculadora, não parava de somar, foram mais de 4 mil mensagens de desconhecidos com DDD do país inteiro. Não respondi ninguém. Também tive que excluir minha conta no Facebook”, declara a estudante.
Punição
Apesar de um inquérito policial estar em andamento, a jovem acredita que o suspeito de divulgar as imagens não será punido. “Não tem punição para este tipo de crime, não tem uma lei que enquadre ele. Ele até pode ser considerado culpado, mas não vai ficar preso”.
Ao prestar depoimento, o suspeito negou as acusações. A Polícia Civil ainda ouve testemunhas do caso. A delegada responsável pelas investigações, Ana Elisa Gomes Martins, não quis divulgar o conteúdo dos depoimentos "para não atrapalhar as investigações". Também é feita uma perícia no celular da estudante.
Para a estudante, além de uma legislação sobre crimes virtuais, é preciso criar uma delegacia especializada. "O assunto é novo. Peritos e policiais não são especializados neste tipo de análise", afirma a jovem.
 
Fonte: G1

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Estupro de jovem após festa completa 3 anos e condenado continua livre

O estupro de uma jovem de 16 anos, dopada após uma festa à fantasia em Catalão, no sul de Goiás, completou três anos nesta semana sem que o condenado pelo crime tenha sido preso. O acusado, que morava em Araguari (MG), foi condenado a oito anos de prisão, mas conseguiu um benefício que o mantém em liberdade.
O Acusado


Segundo o juiz Everton Pereira, que emitiu a sentença, o benefício foi concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e permite que o estudante só seja preso após serem esgotadas todas as possibilidades de recurso. “Acredito que um dia ele possa ser preso”, espera o magistrado.
A vítima, atualmente com 19 anos, passou por tratamento psicológico para tentar superar o trauma, em Goiânia. O rapaz condenado não foi encontrado pela reportagem.
O crime aconteceu em outubro de 2010. A garota, então com 15 anos, tinha ido a uma festa à fantasia em uma chácara. Exames mostraram que a adolescente foi dopada com uma substância popularmente conhecida como “boa noite, Cinderela”. Os laudos também comprovaram estupro.
Ela foi encontrada em um motel por funcionários. A câmera de segurança do estabelecimento registrou o momento em que o acusado do crime chegou ao local carregando a jovem no colo.


 Em seguida, o estudante saiu sozinho, a pé.

Fonte: G1

Fugitiva da Interpol declara seu amor por Osama bin Laden

Samantha Lewthwaite, também conhecida pelo pseudônimo sul-africano de Natalie Webb ou pelo apelido de 'viúva branca', é procurada no Quênia por posse de explosivos e conspiração para cometer um crime em dezembro de 2011. Seu nome foi citado recentemente como possível participante no ataque a um centro comercial de Nairóbi, no qual dezenas de pessoas morreram.
A britânica, de 29 anos, tem também sido associada ao grupo terrorista baseado na Somália al-Shabaab e consta como a mulher mais procurada do mundo pela Interpol. Em investigação no apartamento alugado por Samantha em Nairóbi em 2011, foi encontrado no computador um poema escrito por ela e pesquisas de dieta e mudança de cabelo - ela tinha intenção de ficar parecida com Taylor Swift. Entre outras coisas, lê-se no poemo um aviso para o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que o grupo terrorista al Qaeda está mais forte do que nunca. E que o amor de Samantha por Osama bin Laden, chefe do grupo que foi morto pelos EUA no Paquistão em 2011, é “maior do que qualquer outro amor”. Confira o poema na íntegra, divulgado nesta terça-feira (22) pelo jornal britânico “Metro”


 
“Ode a bin Laden
Oh sheik Osama, meu pai, meu irmão. Meu amor por você é como nenhum outro. Oh sheik Osama, agora que você se foi os muçulmanos devem acordar e ser fortes. Eu sei que você está em um lugar melhor, que Allah concedeu-lhe a graça. Nós estamos à esquerda para continuar seu trabalho. Para buscar a vitória, até os inimigos serem martirizados. Para incutir terror em kuffar. Até que o mundo seja governado por la illaha illala. Oh sheik Osama Meu coração não encontrará paz até que os muçulmanos façam tudo o que o senhor começou, porque Deus não desiste e vai nos levar além. Sua vida é um exemplo de como deveríamos ser. Oh, muçulmanos, ouçam as palavras do nosso amado sheik. Não deixem que sua luta e seus esforços sejam esquecidos. Revivam o que ele começou e se esforcem para o sucesso. Então, talvez possamos nos preparar melhor. Oh sheik Osama, estamos com inveja de você por agora conhecer as promessas verdadeiras. Em verdade Allah adquiriu as vidas dos crentes que tem a graça do paraíso. Eles lutam, matam e morrem pela causa de Allah. É uma ligação de Allah com promessa em Taurat, injill e o Alcorão. Quem mais fiel à sua promessa do que Deus? Quanto aos nossos inimigos, nossas palavras são curtas. Eles escolheram o exército errado para competir. Al Qaeda está mais forte e feroz do que nunca. Pensando no fim, eles são estúpidos e nunca verão o fim, até o dia em que nossas terras serão regidas por Deus, o Todo-Poderoso, cuja lei é completa. Ele é o melhor dos planejadores. A vitória é sua, Sr. Osama. A honra é o seu martirizado!”

Perícia identifica quatro PMs que torturaram Amarildo, diz promotora

Após realização de perícia, foram identificados os quatro policiais militares que participaram ativamente da sessão de tortura a que o ajudante de pedreiro Amarildo de Souza foi submetido ao lado do contêiner da UPP da Rocinha, na Zona Sul do Rio. Segundo informou o Ministério Público, nesta terça-feira (22), a identificação foi feita através da análise de vozes.
De acordo com a promotora Carmem Elisa Bastos, do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), o tenente Luiz Medeiros, o sargento Reinaldo Gonçalves e os soldados Anderson Maia e Douglas Roberto Vital torturaram Amarildo depois que o ajudante de pedreiro foi levado para uma "averiguação" para a base da UPP. Amarildo está desaparecido desde 14 de julho.

Ainda segundo o MP-RJ, mais 15 policiais militares, entre eles três mulheres, foram denunciados pelo órgão, totalizando 25 acusados pelo crime. As três policiais militares foram denunciadas por tortura – uma delas havia prestado depoimento na semana passada.
Dos novos denunciados, três terão a prisão preventiva decretada: sargento Reinaldo Gonçalves, sargento Lourival Moreira e soldado Wagner Soares. Gonçalves prrmanecia no cargo até a manhã desta terça-feira, antes da divulgação do aditamento da denúncia. Segundo a Corregedoria da PM, será pedido o afastamento do cargo de todos que tiverem a prisão decretada.
Novo depoimento
Mais um Policial Militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Rocinha prestou depoimento nesta segunda-feira (21) para o Ministério Público sobre o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza. Ele também acusou os PMs já presos de torturarem até a morte o ajudante de pedreiro, como mostrou o RJTV.
Passou para cinco o número de policiais militares da UPP da Rocinha que decidiram colaborar com as investigações do Ministério Público. Segundo promotores, as declarações feitas nesta segunda-feira pelo policial reforçam o depoimento dado pelo primeiro PM.
Há oito dias, ele afirmou que os policiais que estavam dentro da base da UPP da Rocinha ficaram aterrorizados com a violência durante a tortura contra Amarildo de Souza.
O policial havia contado que o ajudante de pedreiro foi torturado ao lado dos containeres da UPP. E que os PMs se articularam para apagar provas e atrapalhar o inquérito da polícia civil.
Denunciados
Dez PMs, entre eles o ex-comandante da UPP da Rocinha, major Edson Santos, já haviam sido denunciados e estão presos e pelos crimes de tortura seguida de morte e ocultação de cadáver. Na última sexta-feira (18), o major e o tenente Luiz Felipe de Medeiros foram transferidos da unidade prisional da PM para o presídio Bangu 8. Os promotores acreditam que eles estivessem impedindo colegas presos de prestar novas declarações.
O Ministério Público tenta convencer os PMs presos a falar o que sabem em troca da redução da pena, em caso de condenação. Ainda esta semana, outros policiais da UPP serão denunciados pelos promotores por participação no crime.

Capa de moto
O policial militar que prestou depoimento no MP sobre o desaparecimento do ajudante de pedreiro Amarildo de Souza disse que a capa da motocicleta usada para esconder o corpo do ajudante de pedreiro e retirá-lo da favela após a tortura, pertencia ao major Edson Santos, ex-comandante da UPP da Rocinha.

Ainda segundo o policial, durante a tortura o ajudante de pedreiro teria sido afogado dentro de um balde que ficava ao lado da UPP. O recipiente servia para armazenar a água que escorria do ar-condicionado do contêiner. O ajudante de pedreiro ainda teria sido submetido a choques. Em depoimento, o policial também disse que os envolvidos prejudicaram o trabalho da polícia. Um dia depois do desaparecimento de Amarildo, o local foi limpo e todos os vestígios de sangue apagados. Dois diuas depois da tortura eles também teriam jogado óleo no piso e construído um depósito no local.
Entenda o caso
Amarildo sumiu após ser levado à sede da UPP da Rocinha, onde passou por uma averiguação. Após esse processo, segundo a versão dos PMs que estavam com Amarildo no dia 14 de julho, eles ainda passaram por vários pontos da cidade do Rio antes de voltarem à sede da Unidade de Polícia Pacificadora, onde as câmeras de segurança mostram as últimas imagens de Amarildo, que, segundo os policiais, teria deixado o local sozinho.
No dia 27 de setembro, uma ossada achada em Resende, no Sul Fluminense, passou por uma necrópsia, motivada pelas suspeitas de que poderia ser de Amarildo. O relatório, porém, foi considerado inconclusivo, e a ossada será novamente analisada no Rio de Janeiro.
 
Fonte: G1

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Após denúncia de maus-tratos, ativistas levam animais da Royal Canin

Dezenas de ativistas invadiram, na madrugada desta sexta-feira (18), o laboratório do instituto Royal, em São Roque, a 59 km de São Paulo, e levaram vários animais do complexo, informaram a Guarda Municipal da cidade e a Polícia Militar (PM) da região. A manifestação foi motivada por suspeitas de maus-tratos aos bichos no local.

Os manifestantes acusam o laboratório de maltratar animais como cães da raça beagle, ratos e coelhos usados em testes laboratoriais de produtos cosméticos e farmacêuticos. Os ativistas afirmaram nas redes sociais que a empresa pretendia sacrificar os animais.
Ao Bom Dia São Paulo, o instituto Royal afirmou que realiza todos os testes com animais dentro das normas e exigências da Anvisa e que a retirada dos animais do prédio prejudica o trabalho que vinha sendo realizado. Segundo o laboratório, que classificou a invasão como ato de terrorismo, a ação dos ativistas vai contra o incentivo a pesquisas no país.
Manifestantes disseram que o laboratório tinha mais de 200 animais no local.
A Guarda Municipal da cidade informou que o protesto reuniu 120 pessoas, e que a maior parte invadiu o complexo após quebrar um portão por volta de 2h. A corporação confirmou que muitos ativistas levaram em seus carros animais do laboratório.

A PM de Sorocaba, que atende a região, informou que 50 pessoas entraram no imóvel, deprederam áreas do complexo e levaram vários animais em carros particulares.
Até por volta das 4h, não havia registro de confronto entre policiais e manifestantes. A PM, no entanto, pretendia levar para a delegacia local representantes do movimento, que poderiam, segundo a polícia, serem enquadrados por invasão, depredação e roubo de animais. Mas até esse horário ninguém havia sido detido.
O protesto começou por volta das 20h, e ganhou maior adesão no fim da noite. Os ativistas passaram boa parte da madrugada no local.
Segundo relatos de manifestantes, foi possível ouvir latidos supostamente de dor de cães.
No fim da noite de quinta-feira (17), a Polícia Civil de São Roque informou que registrou um boletim de ocorrência sobre a denúncia de maus-tratos.
Os manifestantes cercaram o complexo e tentaram vistoriar veículos do laboratório. Houve um princípio de confusão porque um dos motoristas da empresa se negou a abrir o carro.
A Guarda Municipal enviou quatro equipes ao local, duas para cada portão da empresa. A PM informou que deslocou 6 equipes por volta das 3h30.
O protesto acontece desde sábado (12), mas ganhou adesões nesta quinta por causa de boatos de que a empresa estava preparando a retirada e o sacrifício dos animais, depois que três vans e um caminhão de pequeno porte entraram no laboratório durante a tarde.
Uma reunião estava marcada para o fim da tarde desta quinta-feira, com a presença de ativistas dos direitos dos animais, funcionários da prefeitura e representantes do laboratório. O encontro foi cancelado porque a empresa informou que, por segurança, não mandaria um representante.

 

Nota de esclarecimento
A empresa Royal Canin, multinacional de origem francesa que fabrica alimentos para animais domésticos, divulgou uma nota na manhã desta sexta-feira (18) informando que, apesar da similaridade entre os nomes das duas empresas, não possui qualquer relação com o Instituto Royal.
Veja a nota na íntegra:
A Royal Canin do Brasil esclarece que NÃO TEM NENHUM VÍNCULO com o Instituto Royal que vem sendo apontado como realizador de pesquisas invasivas em animais (cães beagles). Acreditamos que a associação feita por algumas pessoas deva-se ao fato da similaridade de nomes.

Não realizamos e nem apoiamos testes que possam trazer sofrimentos aos animais.

A Royal Canin do Brasil, ainda em 2012, quando este assunto veio à tona, tomou todas as medidas legais cabíveis, junto a Promotoria de Justiça do GECAP - Grupo de Atuação Especial de Combate aos Crimes Ambientais e de Parcelamento Irregular do Solo da Comarca de São Paulo - SP, para assegurar e comprovar a inexistência de qualquer relação entre a empresa e o referido Instituto.

A Royal Canin, empresa fundada em 1968, na França, e instalada no Brasil desde 1990, fica à disposição através dos canais de atendimento:

SAC: 0800 703 55 88 (de segunda à sexta-feira, das 08:00h às 17:00h)
 
Fonte: G1
 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

PMDF gasta R$ 122 mil com pen drives em formato de viatura

A PMDF (Polícia Militar do DF) comprou 6.000 pen drives personalizados por R$ 121.980. Os recursos são do Fundo Constitucional do Distrito Federal, criado para custear as forças de segurança pública da capital federal. Os dispositivos têm quatro gigas de espaço.   


Segundo o edital, metade deles será em formato de viaturas policiais e o restante padronizado com o brasão da corporação. As informações estão disponíveis na Seção 3 doDiário Oficial do DF na terça-feira (15). A vencedora da licitação é uma empresa de Porto Alegre.  
Cada unidade feita com o desenho da viatura custou R$ 20,66 e as demais saíram por R$ 20. A polícia informou que os dispositivos podem ser usados para armazenar músicas, fotos, textos, slides e vídeos. Nas especificações da licitação, está a exigência de que estes produtos sejam fabricados em acrílico, com acabamento resinado e à prova d´água.  
R7 DF fez uma pesquisa e encontrou um atacadista do mesmo porte que a empresa vencedora e cotou o mesmo produto ao custo médio de R$ 16,90. Em sites especializados na internet, também é possível encontrar pen drives de 4GB com preços que variam de R$ 15 a R$ 19.  
Customizados e sob encomenda
A Geral Atacadista, empresa que venceu a licitação, explicou que os produtos ficaram com preços mais caros porque são totalmente customizados e feitos sob encomenda, mas que este não era o valor ideal. O responsável pela empresa, identificado somente como Júlio, contou que foi forçado a baixar os valores em função da concorrência.
— No início da licitação, nossa proposta estava com valores na casa dos R$ 30, mas tivemos que baixar para vencer o processo.
A customização dos pen drives comprados pela PMDF foi feita por outra empresa, que tem sede em São Paulo. Os serviços teriam sido terceirizados para a Geral Atacadista. Questionado sobre o assunto, Júlio relatou que conta com parceiros, mas negou o envolvimento de outro estabelecimento na produção dos dispositivos.
O pregão foi aberto no dia 26 de setembro e a Geral Atacadista terá 40 dias para assinar o contrato e fazer a entrega do material.  
Fonte: R7

TJDF condena Benedito Domingos distrital por fraude, corrupção e formação de quadrilha

O Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios condenou, nesta terça-feira (15), o deputado distrital Benedito Domingos (PP) a 5 anos, 8 meses e 10 dias de detenção em regime semiaberto por fraude em licitação.  A decisão foi unânime entre os 17 desembargadores que compõem o conselho. Domingos pode recorrer em liberdade até a pena ser executada.

Após a publicação desta reportagem, o conselho também condenou o deputado a 1 ano e 11 meses de reclusão em regime semiaberto por formação de quadrilha e mais 4 anos de reclusão, no mesmo regime, por corrupção passiva.
O advogado de Benedito Domingos, Raul Livino, adiantou que vai contestar a condenação em uma instância superior.
O Tribunal de Justiça do DF informou que, com a condenação pelo colegiado, ainda que em primeira instância, Benedito Domingos é considerado ficha suja.
A condenação não significa que Benedito perde automaticamente o cargo na Câmara
Legislativa. A decisão depende dos deputados distritais. O G1 procurou o deputado Dr. Michel, presidente do Conselho de Ética da CLDF, para tratar do assunto, mas não conseguiu contato.

A sentença no processo por fraude em licitação indica que, quando era administrador de Taguatinga em 2008, o deputado distrital agiu de forma decisiva para que o GDF contratasse decoração de Natal da empresa do filho dele. Neste ano, 22 administrações regionais contrataram decoração de Natal da referida empresa.
Em troca, segundo a denúncia feita pelo Ministério Público, daria apoio político ao então governador José Roberto Arruda.
O advogado do ex-governador Arruda, Edson Smaniotto, informou que ele não tinha nenhuma responsabilidade sobre a contratação das empresas da família de Benedito Domingos. Disse que isso era responsabilidade de cada administrador regional. Smaniotto informou ainda que não há nenhuma prova de que haveria barganha de apoio político por parte de Arruda.
O relator do processo, o desembargador Humberto Ulhoa, disse na decisão que "o réu se aproveitou da situação de administrador regional e político influente para, dessa forma, beneficiar a empresa de seu filho, sagrada vencedora nas licitações". E concluiu: "o réu violou os deveres inerentes da função pública ocupada (...) Valeu-se do cargo publico de grande influência para obter vantagem a outrem, seu filho."
Fonte: G1

Assustado, estuprador solta vítima no DF e dá a ela R$ 4 para o ônibus


Uma menina de 11 anos foi vítima de estupro na manhã de quarta-feira (16), em Ceilândia Norte. O criminoso chegou a tocá-la nos genitais, mas se assustou com os gritos da garota e decidiu deixá-la na estrada. Ao se despedir da vítima, o suspeito deu R$ 4 a ela para que tomasse um ônibus para casa.


A menina foi abordada por volta das 7h no Incra 9, condomínio Bela Vista, quando ía à escola. Com uma faca, o suspeito obrigou a menina a entrar em um carro. A mãe da garota estava a poucos metros do local, segundo a polícia.

O veículo seguiu pela DF-190. Numa área à margem da rodovia, o criminoso tocou a genitália da menina. Ela pediu para que ele não a violentasse, alegando que era uma criança. A garota começou a gritar por socorro e assustou o suspeito.

Depois de abandonar a vítima na estrada, o homem fugiu no sentido Santo Antônio do Descoberto. O caso está sendo investigado pela 19ª DP.


G1

Família de músico morto no Rio espalha retrato falado de suspeito

A família do músico Fernando Barangertusem, de 24 anos, morto em julho, após reagir a um assalto em Bangu, Zona Oeste do Rio, espalhou cartazes com o retrato falado do suspeito no bairro, desde terça-feira (15). O jovem era vocalista da banda Gambrinus 74 e foi baleado em frente à casa da namorada, na Rua Capitão Verdier. A Divisão de Homicídios (DH) investiga o caso, mas tem tido dificuldades para identificar o criminoso.

Fernando Barangertusem


Segundo Alexandre Freire, tio de Fernando, o casal estava discutindo no portão, quando um homem os abordou em uma moto. O músico teria dito para a namorada correr e deixá-lo "resolver sozinho". O assaltante atirou contra Fernando e, em seguida, fugiu sem roubar nada.
Retrato falado do suspeito

Os cartazes foram colocados em ruas como a Avenida Ministro Ari Franco, próximas à Rua Capitão Verdier, onde ocorreu o crime. A família do jovem reclama que o caso está na Divisão de Homicídios desde julho, mas até agora as investigações não foram concluídas.
"A polícia não está investigando o caso como deveria investigar. O Fernando era uma pessoa extremamente carismática e do bem. Era um músico excelente e compositor. Se inscreveu no Enem e queria fazer Sociologia", descreveu Alexandre. 
Ao G1, a Polícia Civil informou que entende a ansiedade da família, mas que alguns casos são mais fáceis e outros mais complexos de serem concluídos. Por meio da assessoria de imprensa da corporação, o delegado Alexandre Herdy afirmou que o inquérito da morte do músico Fernando Barangertusem, especificamente, "está bem complicado".

A Divisão de Homicídios confeccionou o retrato falado do suspeito e realiza diligências para tentar identificar o criminoso. Testemunhas do caso foram ouvidas na delegacia.
Fonte: G1

terça-feira, 15 de outubro de 2013

PF detém 16 e apreende 3 aeronaves durante operação contra tráfico

Três aeronaves foram apreendidas durante a Operação ‘Touro Branco’, deflagrada pela Polícia Federal em Mato Grosso e em outros quatro estados nesta terça-feira (15). A operação cumpre mandados contra o tráfico internacional de drogas nos estados de Mato Grosso, Goiás, Rio Grande do Norte, Pará e São Paulo.
Além das apreensões, 16 pes
soas foram presas, conforme informou ao G1 a PF. A operação cumpre 17 mandados de prisão preventiva, 3 de prisão temporária e 20 de busca apreensão. Desse número, quatro estão foragidos, sendo três deles na Bolívia. Os 20 mandados de busca também já foram cumpridos. A PF afirmou que só vai detalhar as prisões ao final da operação.

As aeronaves utilizadas pela quadrilha foram apreendidas em Sinop, Colíder e Belém. A PF também está na procura de outros dois aviões citados na investigação. Durante a operação foi feita uma prisão em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.
De acordo com o superintendente da PF em Mato Grosso, Élzio Vicente da Silva, as aeronaves eram usadas para transporte da droga entre Bolívia e Mato Grosso. “Verificamos a existência de uma organização criminosa que se uniu para entregar droga em vários pontos do país. Eles utilizavam principalmente essas aeronaves que traziam entorpecente da Bolívia. Eles pousavam em pistas clandestinas e faziam esse repasse de droga", disse Élzio. A maior parte da droga vinha da Bolívia.
Todos os suspeitos começaram a ser ouvidos ainda nesta manhã em cada delegacia da PF onde foram presos. Outros policiais continuam a operação para prender o restante dos suspeitos. A PF deve fazer uma coletiva e divulgar o balanço da operação a partir do meio-dia [horário de Mato Grosso.


 
Touro Branco A operação batizada de Touro Branco começou há um ano e meio, quando a PF identificou o transporte de droga na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia através de aeronaves de pequeno porte. Os traficantes escondiam grandes quantidades de entorpecente em regiões de áreas rurais e fazendas, até que um transporte fosse disponibilizado para levar a droga aos consumidores de Mato Grosso e outros estados.
Em Mato Grosso, os mandados são cumpridos em Cuiabá, Cáceres, Mirassol D’Oeste, São José dos Quatro Marcos, Araputanga, Sapezal, Colíder, Sinop, Sapezal e Rondonópolis. Os demais em Luziânia (GO), Apodi (RN), Santarém, Paragominas, Belém, ambas cidades no Pará, e em São Paulo e Lavínia, interior de São Paulo.
A operação recebeu esse nome por causa de traficantes que utilizavam várias vezes o termo 'touro branco' durante as negociações envolvendo o tráfico de entorpecentes, tentando simular a compra e venda de gado na tentativa de despistar a polícia em eventuais interceptações telefônicas.
 
Fonte: G1

Ex-piloto da FAB trabalha para realizar um sonho: construir sua aeronave


Movido pelos 35 anos de voos em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), o coronel Jorge Canto, 58, decidiu realizar um desejo antigo ao se tornar reservista: construir um avião experimental de pequeno porte. Há cinco anos, ele monta sozinho o modelo de madeira de freijó e compensado aeronáutico com base em um projeto italiano. O mais inusitado é o local onde ocorre todo o processo: o quintal da própria casa, na Quadra 29 do Park Way. É lá que o piloto passa horas a fio a cortar, serrar, colar, parafusar e, aos poucos, dar vida ao aeroplano. A primeira viagem a bordo do Whisky IV está prevista para 2015. Jorge não será o único tripulante. A mulher dele, Cynthia Maria da Silva, 56 anos, que fez parte da primeira turma de mulheres da FAB, vai encarar a aventura ao lado do marido.
Ao saberem da façanha, muitos acharam loucura a ideia da construção do avião “caseiro”, até porque, na Academia da Força Aérea, ninguém aprende noções básicas de como montar aeronaves. Ele foi induzido pela curiosidade. Tornou-se autodidata depois de comprar livros especializados e se tornar sócio da Associação Brasileira de Aviação Experimental. Enquanto a maioria estranhava a decisão de Jorge, Cynthia o apoiava incondicionalmente. Tanto que ela foi a responsável por convencê-lo a mudar o projeto inicial da aeronave. “Eu queria que fosse apenas de um lugar. Mas ela me obrigou a fazer de dois. E assim foi feito”, contou o piloto, que perde a noção de tempo quando entra no escritório. “Eu não sinto ciúmes, nem o questiono. É um momento dele. Ele é determinado, persistente. É admirável o que ele está fazendo”, reconhece a paulistana, que também entrou para a reserva. 

Fonte: G1

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Laudo aponta cocaína no organismo de modelo morta ao colocar silicone

Um laudo toxicológico divulgado pelo Instituto Nacional de Criminalística, em Brasília, apontou a existência de cocaína no organismo da modelo Louanna Adrielle Castro. A jovem de 24 anos morreu no dia 1º de dezembro do ano passado, em Goiânia, durante uma operação para colocar prótese de silicone nos seios.
As análises químicas foram divulgadas na quinta-feira (10). Segundo o documento, além da droga, outras três substâncias foram encontradas no corpo da jovem. Na época da morte, uma das causas apontadas pelo médico do hospital onde Louanna morreu é que ela teria usado a droga antes do procedimento.



O primeiro exame feito no organismo da modelo, em janeiro deste ano, não tinha acusado nenhum tipo de droga ou bebida alcoólica. Apesar do resultado, o delegado responsável pelas investigações, Fernando de Oliveira, informou que o laudo não é conclusivo e somente o exame cadavérico, que não tem data para ficar pronto, irá apontar o que provocou a morte da vítima.
O advogado da família de Louanna, Mário Ibrahim, disse que a família não irá comentar o resultado do laudo.
 Morte
Louanna é de Jataí, no sudoeste de Goiás e já havia sido eleita Miss Jataí Turismo. Ela morreu após iniciar o procedimento cirúrgico para colocar prótese de silicone nos seios, no Hospital Buriti, no Parque Amazônia, em Goiânia.
Em depoimento na época, a médica anestesista Beatriz Vieira Espíndola, que participou da cirurgia na modelo, detalhou a intervenção da equipe médica para ressuscitar a paciente, que sofreu duas paradas cardíacas. Ela disse que durante a operação a paciente teve reações que poderiam ser comuns a pessoas que já usaram algum tipo de droga. A suspeita de uso de cocaína e ecstasy constou no relatório médico encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).
A suposição da anestesista chocou família e amigos da vítima, que negaram que a modelo fizesse o uso de álcool ou entorpecentes. “Muitos filhos fazem isso escondido dos pais [usam drogas], mas eu falo pelo caráter dela e por todos os amigos que conhecem ela e sabem que isso não é verdade. Eles vão ter que provar isso”, contestou a mãe de Louanna em entrevista à TV Anhanguera em dezembro.
Desde a morte da jovem, a família dela cobra o exame cadavérico para a conclusão do inquérito. A mãe de Louana, Dênia Castro, chegou a reclamar da demora: “É muita enrola. Quero saber o que aconteceu com minha filha”, afirmou ao G1.

Fonte: G1

Levantamento mostra rodovias com maior exploração sexual de menores

A Polícia Rodoviária Federal antecipou o resultado de um levantamento sobre a exploração sexual de adolescentes e crianças ao longo das rodovias de todo o país. Os números mostram o maior risco desse tipo de crime em cada região - a maioria dos pontos é perto das cidades. No Centro-Oeste, são quase 400 e, na Região Norte, o perigo está a cada 40 quilômetros de estrada.
O dia já estava claro quando os agentes da Polícia Rodoviária Federal chegaram a uma casa de festa em um balneário perto de Florianópolis. Encontraram adolescentes consumindo bebida alcoólica sem qualquer constrangimento.

Um casal foi flagrado em um motel, na beira da estrada em Belo Horizonte, e levado para a delegacia. O homem foi preso porque a acompanhante era menor da idade.
Desde 2006, a polícia vem monitorando rodovias federais para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes. Os pontos mais vulneráveis ficam nas BRs 230, 116 e 101, e as ocorrências são registradas principalmente em áreas urbanas.
São mais de 1,7 mil locais de risco de exploração sexual de menores nas rodovias federais de todo o país. Os crimes normalmente ocorrem em locais como estacionamentos de postos de gasolinas e também em bares e restaurantes.
Nos últimos sete anos, 3,8 mil adolescentes e crianças estavam em situação de perigo e foram encaminhados para conselhos tutelares e órgãos de proteção. Só em 2013, 405 menores foram resgatados. A maioria na Bahia, no Paraná e em Minas Gerais.
Neste ano, as operações contam com o apoio do Serviço de Inteligência da Polícia, e 142 pessoas já foram presas. “O mais frequente é um aliciador para várias crianças. Contudo, a situação de pais explorando os seus próprios filhos também é recorrente”, afirma Andrei Gomes, da Comissão de Direitos Humanos da PRF.
A professora Maria Lúcia Leal, da Universidade de Brasília, diz que além de intensificar a fiscalização nas rodovias, também é preciso punir com rigor os donos de lojas, bares e restaurantes que criam ambientes favoráveis ao crime vendendo bebida alcoólica para menores.
“Nós temos que responsabilizar o comerciante porque ele também precisa entender que ele é responsável pela situação de exploração sexual que ocorre no seu estabelecimento”, ressalta.

Fonte: G1

Polícia Civil faz ação para desarticular grupo Black Blocs, no Rio

Policiais civis realizam nesta sexta-feira (11) uma operação para tentar desarticular o grupo Black Blocs, que protagoniza atos de vandalismo e violência durante protestos no Rio. A ação da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) começou nesta manhã e, até as 10h, pelo menos seis pessoas tinham sido levadas para prestar esclarecimentos.
Nesta semana, a polícia do Rio de Janeiro anunciou que quem for identificado como autor de atos violentos e de vandalismo nas manifestações vai responder por organização criminosa.  A lei, mais rigora, entrou em vigor recentemente e prevê pena de até oito anos de prisão.

Segundo o delegado titular do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), Fernando Reis, os agentes visam cumprir 17 mandados de busca e apreensão em vários locais da capital fluminense. Eles apreenderam computadores, equipamentos eletrônicos e máscaras durante vasculhamentos em residências.
Ainda de acordo com o delegado, a Polícia Civil pediu quebra de sigilo de dados de pessoas investigadas para saber que nível de envolvimento elas têm com os Black Blocs. "A Polícia Civil, em momento algum, questiona o direito de manifestação, mas o caso é que eles praticam crimes", ressaltou.
Segundo o advogado do Instituto de Defensores dos Direitos Humanos (DDH) Felipe Coelho, duas pessoas tinham sido liberadas após os depoimentos até o mesmo horário. Equipes do instituto acompanham os depoimentos.

Fonte: G1

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Torre de telefonia cai durante vendaval em cidade de MT e destrói carro


Uma torre de telefonia móvel caiu durante um vendaval na noite desta terça-feira (8), em Nova Xavantina, a 651 quilômetros de Cuiabá. Na queda, a estrutura atingiu três casas e um carro, que ficou totalmente destruído, segundo o Corpo de Bombeiros da cidade. A chuva forte durou aproximadamente 30 minutos. Começou às 19h30 e terminou às 20h. Apesar dos prejuízos, ninguém ficou ferido.

O soldado Jaderson Lima Corrêa, do Corpo de Bombeiros do município, contou que a torre, de 150 metros de altura, derrubou a fiação e deixou alguns bairros sem energia. "Essa foi a nossa preocupação porque os fios de alta tensão ficaram caídos no chão. Então, isolamos o local para evitar que os moradores transitassem e pudessem se machucar", afirmou.
Uma das moradoras que teve a casa atingida pelo temporal, conforme Jaderson, pensou que a construção que fica ao lado tivesse desabado e derrubado o muro da residência dela. Algumas árvores também caíram em consequência da ventania.
Segundo ele, por volta da meia-noite a energia foi restabelecida.  Porém, os telefones celulares de três operadoras deixaram de funcionar. "Devemos ficar um bom tempo sem celular, só que a internet continua funcionando", pontuou o bombeiro.

Fonte: G1

Inflação oficial avança para 0,35% em setembro, mostra IBGE


O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, por ser usado como base para as metas do governo, avançou, passando de 0,24% em agosto para 0,35% em setembro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em pesquisa divulgada nesta quarta-feira (9).

Com o resultado de agosto, segundo o IBGE, o IPCA acumulado no ano ficou em 3,79% e, em 12 meses, em 5,86% - seguindo dentro da meta de inflação do governo federal, que permite o IPCA oscilar entre 2,5% e 6,5%. É a primeira vez no ano que o IPCA fica abaixo de 6%. A última vez foi em dezembro de 2012, quando ficou em 5,84%.

Em setembro de 2012 a taxa havia ficado em 0,57%.

De acordo com o IBGE, a variação de preços do grupo transporte registrou a maior aceleração, passando de uma queda de 0,06% para um aumento de 0,44%. Entre os principais impactos para o avanço da taxa estão as passagens aéreas, que subiram 16,09% e das tarifas dos ônibus urbanos, que pararam de cair.

Dentro desse grupo, outros itens registraram avanço das taxas, como a gasolina, cujo litro, em setembro, caiu mais do que em agosto (de -0,15% para -0,42%) e como o etanol, cujo recuo passou de -1,16% em agosto para -0,72% em setembro.

Também seguiu o mesmo comportamento de alta os preços relativos a alimentação e bebidas - passando de uma quase estabilidade (0,01%) em agosto para um avanço de 0,14% em setembro. O resultado foi puxado pela variação de preços de alimentos de consumo no domicílio, que reduziram a queda, de -0,34% para -0,03%.

Entre os alimentos pesquisados, o destaque de alta ficou com pão francês, cujo preço subiu 3,37%, e o de baixa, com o feijão carioca, que ficou 13,95% mais barato.

Os preços relativos a habitação também subiram - de 0,57% em agosto para 0,62% em setembro - com a maior influência partindo do gás de botijão (de 0,28% para 2,01%), aluguel residencial (de 0,74% para 0,80%) e artigos de limpeza (de 0,35% para 0,71%).

Os artigos de vestuário também ficaram mais caros - passando de 0,08% para 0,63% no mês seguinte, com destaque para as roupas femininas (de -0,37% para 1,43%) e calçados (de -0,11% para 0,58%).

Já o grupo saúde e cuidados pessoais manteve o mesmo nível do mês anterior, de 0,45% em agosto para 0,46% em setembro.

Redução
Na contramão dos outros grupos, os artigos de residência mostraram desaceleração da alta de preços (de 0,89% para 0,65%), com destaque para itens mobiliário (de 1,22% em agosto para -0,19% em setembro) e conserto de equipamentos domésticos (de 1,16% para 0,84%).

No grupo de despesas pessoais, cuja alta perdeu força, de 0,39% para 0,20%), as maiores influências partiram dos itens recreação (de 0,80% para -0,24%) e empregados domésticos (de 0,53% para 0,46%).

Na análise regional, o maior partiu de Brasília (0,70%) e o menor, em Salvador (0,03%).

INPC
Nesta quarta-feira, também foi divulgado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que também acelerou, de 0,16% em agosto para 0,27% em setembro. No ano, acumula alta de 3,61% e, em 12 meses, de 5,69%. Em setembro de 2012 o INPC havia ficado em 0,63%.
 
Fonte: G1

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Cristina Kirchner já está sendo operada, diz presidência da Argentina

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, começou a ser operada na manhã desta terça-feira (8) de um hematoma subdural (acúmulo de sangue na cabeça). A cirurgia começou às 8h18, segundo a presidência argentina.
Cristina foi internada na segunda para ser submetida a exames cardiovasculares pré-cirúrgicos, após sentir um formigamento no braço esquerdo, acrescentaram os médicos.

"A presidente apresentou no domingo um formigamento em seu braço esquerdo (...) registrando uma transitória e leve perda de força muscular em seu membro superior. É indicada a intervenção cirúrgica que consiste na retirada do hematoma", indicou a Fundação Favaloro.
A operação é simples e de bom prognóstico, disse à AFP o doutor Anders Cohen, chefe de Neurocirurgia do Brooklyn Hospital Center de Nova York.
"É uma intervenção simples, de curta hospitalização, talvez três dias, seguida de um período de reabilitação. Ela poderá retomar suas atividades em 4 a 6 semanas (...). O prognóstico deve ser muito bom."
O que afeta a presidente é uma das coisas mais comuns com pessoas que sofrem um trauma na cabeça. "Ocorre regularmente após um acidente", disse.
Kirchner, 60 anos, sofreu em 12 de agosto um traumatismo craniano, após o qual não apresentou sintomas, mas no sábado passado foi detectado um hematoma subdural crônico.
"Isto é muito possível, se a veia que se rompeu era muito pequena, o sangue flui muito lentamente e não é anormal que após várias semanas surja o hematoma", disse Cohen.
"Trata-se de um hematoma que está entre o cérebro e o crânio. O sangue acumulado faz pressão no cérebro, então fazemos uma pequena incisão para abrir uma janela, isto dura cerca de 45 minutos, não é um procedimento longo, se remove o sangue e se certifica de que não há atividade sanguínea no local. Depois se coloca um dreno, algo que o paciente normalmente tolera muito bem", disse.
"É uma cirurgia que se faz há mais de 100 anos, de procedimento simples, e pode ocorrer com segurança em qualquer lugar do mundo".
Eleições
O hematoma vai manter a combativa líder, de 60 anos, fora de ação durante um mês, faltando apenas três semanas para a eleição legislativa de meio de mandato, em 27 de outubro, a qual vai determinar quanto poder no Congresso ela terá nos dois últimos anos no governo.

O vice-presidente Amado Boudou antecipou durante o fim de semana o retorno de uma viagem ao Brasil e à França e assumiu a Presidência.
Segundo o porta-voz presidencial, o estado da presidente pode ser resultado de uma queda sofrida em agosto, embora na ocasião ela tenha sido liberada pelos médicos.
Cristina, conhecida por acompanhar de perto o trabalho de seu gabinete, pode ter dificuldades para se manter distante durante um período politicamente sensível para a Argentina, a terceira maior economia da América Latina.
Além disso, o seu governo está no auge de uma batalha em tribunais dos Estados Unidos sobre a crise do calote da dívida argentina, um caso do qual ela gosta de falar publicamente.
Pesquisas recentes indicaram que o governo pode perder o controle do Congresso na eleição de meio de mandato, um resultado que tiraria de Cristina a oportunidade de fazer uma reforma constitucional que lhe permitiria disputar um terceiro mandato em 2015.
Reeleita em 2011 com base na promessa de elevar o papel do governo na economia, a presidente tem dito que não pensa em um terceiro mandato. Mas persistem as especulações de que seus partidários querem emendar a Constituição para que ela possa concorrer novamente.
Cristina foi eleita pela primeira vez em 2007, quando a Argentina se recuperava do catastrófico calote da dívida em 2002.
Suas políticas comerciais protecionistas, controles cambiais e de nacionalização das principais companhias aérea e de petróleo e do sistema de previdência privada mantiveram a Argentina como um pária dos mercados internacionais.
Fonte: G1

domingo, 6 de outubro de 2013

Confrontos deixam mortos no Egito

Pelo menos 34 pessoas morreram neste domingo (6) no Egito em confrontos entre partidários do presidente islamita deposto Mohamed Morsi, de um lado, e os anti-Morsi e as forças de segurança, segundo o último balanço do Ministério da Saúde publicado pela agência EFE. Segundo fontes oficiais, há 209 feridos. Segundo a agência Reuters, uma fonte de segurança afirmou que o número de mortos seria ainda maior: 44 vítimas.
O diretor do Departamento de Emergência do Ministério da Saúde, Khaled al-Khatib, disse à agência de notícias Mena que 30 das mortes foram registradas no Cairo, principalmente nos distritos de Mohandisin, Dokki, Ramses e do centro da cidade. As demais mortes foram registradas, respectivamente, em Beni Suef, onde três pessoas foram mortas, e outro na província de Minia, ambas ao sul do Cairo.

Os confrontos começaram depois que apoiadores e opositores de Morsi, da Irmandade Muçulmana, tomaram as ruas. Os mortos sofreram, em sua maioria, ferimentos a bala, afirmaram fontes de segurança. Os seguidores da Irmandade Muçulmana se manifestaram no Cairo e em outras cidades pedindo a queda do chefe do Exército.
Autoridades egípcias alertaram no sábado que qualquer um que protestasse contra as Forças Armadas poderia ser visto como um agente de forças estrangeiras. A Irmandade vinha fazendo protestos seguidas vezes contra as Forças Armadas, depois da derrubada do poder do presidente Mohamed Morsi em 3 de julho.
Neste domingo, a tevê estatal mostrou imagens ao vivo de multidões na Praça Tahrir e da cidade de Alexandria carregando fotos do chefe militar, general Abdel Fatah el-Sisi, e bandeiras do país. Segundo testemunhas, forças de segurança dispersaram manifestantes pró-Irmandade em Alexandria com gás lacrimogênio.
Islam Tawfik, um membro da Irmandade e jornalista, disse mais cedo que apoiadores do grupo, que tem diversos integrantes presos desde a derrubada de Morsi, estavam determinados a chegar à praça. "Os nossos que estão nas ruas hoje querem celebrar o Exército que costumava apontar as armas contra o inimigo e não seu povo", disse Tawfik à Reuters. Partidários das Forças Armadas reuniram-se na praça Tahrir para celebrar o aniversário de um ataque a forças israelenses em 1973.
"Nós queremos entrar na Tahrir e Rabaa (local de protestos e acampamento da Irmandade Muçulmana) porque não estão reservadas àqueles que apoiam o golpe", afirmou.
A Irmandade acusa os militares de liderarem um golpe e sabotarem a democracia egípcia com a remoção de Mursi, o primeiro presidente eleito livremente no país, preso após ser derrubado da Presidência.
No dia 14 de agosto, autoridades egípcias atacaram dois acampamentos pró-Morsi no Cairo, deixando centenas de mortos, para depois declarar Estado de emergência e impor um toque de recolher. Autoridades egípcias reforçaram a segurança no país após confrontos terem deixado ao menos quatro mortos na sexta-feira, quando partidários de Morsi realizavam as demonstrações mais intensas desde que seus acampamentos foram arrasados.
Fonte: G1