sexta-feira, 28 de junho de 2013

Ministério da Justiça anuncia abertura de processo contra Telexfree

O Ministério da Justiça informou nesta sexta-feira (28) que o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) da Secretaria Nacional do Consumidor instaurou processo administrativo contra a empresa Telexfree (Ympactus Comercial LTDA) por indícios de formação de pirâmide financeira.
Segundo o ministério, a empresa estaria ofendendo os princípios básicos do Código de Defesa do Consumidor, como o dever de transparência e boa-fé nas relações de consumo, além de veiculação de publicidade enganosa e abusiva.
"O DPDC recebeu no início do ano denúncias de vários órgãos estaduais do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, principalmente do Procon e Ministério Público do Acre. O DPDC oficiou diversos órgãos, inclusive a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Banco Central, Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda e Conselho Administrativo de Defesa Econômica", informou a pasta, em comunicado.
"A prática de esquemas de pirâmides, além de crime, acarreta danos irreparáveis aos consumidores. As empresas que incorrerem nessas práticas também serão sancionadas com base no Código de Defesa do Consumidor", disse Amaury Oliva, diretor do DPDC.
Caso seja confirmada a violação aos direitos e garantias previstos no Código de Defesa do Consumidor, a empresa poderá ser multada em mais de R$ 6 milhões, segundo o governo.


Telexfree nega pirâmide ou fraude
Procurado pelo G1, o advogado da empresa, Horst Fuchs, negou qualquer ocorrência de fraude ou prática de pirâmide financeira.

"Vamos nos defender e colaborar com todas as investigações, como sempre fizemos, para mostrar que o que a Telexfree faz não é pirâmide e sim marketing de rede", disse o advogado. "Já faz um ano que a empresa está sendo investigada, mas a questão é que não há no país uma legislação que trate de marketing de rede. Por isso, exortamos que o Congresso legisle sobre esta matéria", acrescentou.
Segundo ele, "a venda de pacotes de telefonia VoIP conta com a indicação de consumidores que são remunerados à exata medida de novos consumidores" e que "a recompensa é resultado da indicação e não da adesão". "O marketing multinível, quando remunera sobre o consumo e não sobre o valor das adesões, não configura, obviamente, uma pirâmide financeira", explicou Fuchs, em entrevista ao G1, em março.
Fuchs disse entender que "a Telexfree não realiza vendas premiadas, pois todos os que indicam consumidores, e também estes, realizam a compra de contas VoIP, gerando bonificações aos que indicaram".
A Telexfree afirma não fazer captação antecipada, não sendo, por isso, obrigada a ter autorização da Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) para atuar. A empresa diz ainda que "não pratica a venda de bens ou serviços, motivo pela qual não necessita obter autorização de atividades de comércio" e que a entrega das contas VoIP "é efetuada diretamente pela Telexfree dos Estados Unidos aos consumidores em qualquer lugar que se encontrem".
A empresa incentivo à economia informal, assinalando que informa à Receita Federal a renda das pessoas físicas. A Telexfree assinala ainda que que o divulgador, ao assinar o contrato, "está ciente dos termos da atuação e de quanto receberá por ela".

Investigação penal no Acre
No Acre, o Ministério Público instaurou inquérito para apurar se as atividades da Telexfree envolvem práticas de crimes contra a economia popular, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Agora, a Telexfree passou a ser investigada também na esfera penal. Segundo o promotor da Gaeco, Danilo Lovisaro, o material levantado pelo MP/AC deu base para a composição do inquérito policial. A documentação foi encaminhada para a delegacia de Combate ao Crime Organizado, na última sexta-feira (21).

Quadrilha mata criança durante assalto na Zona Leste de SP


Uma quadrilha formada por seis homens matou um menino de 5 anos durante assalto a uma casa onde vivem bolivianos na região de São Mateus, Zona Leste de São Paulo, na madrugada desta sexta-feira (28). Bryan Yanarico Capcha, que era filho único, foi baleado na cabeça porque chorou durante a ação dos criminosos, segundo a polícia.
Por volta de 1h, quatro ladrões com facas e dois com revólveres invadiram a residência na Rua Frutos de Maio, no Jardim Conquista. Muito agressivos, os crimininosos renderam duas famílias de bolivianos, que moram e trabalham em um ateliê de costura, e recolheram cerca de R$ 4,5 mil.
Assustado com a situação, o garoto começou a chorar. A mãe, que veio há seis meses para trabalhar como costureira no Brasil, disse ter segurado o menino no colo, mas ele não se acalmou. Irritado, um dos criminosos atirou na cabeça do garoto. Ele foi levado para o Hospital São Mateus, onde já chegou morto.
A quadrilha fugiu logo após o disparo. Até o início da manhã, a polícia não tinha pistas dos assaltantes. A perícia foi feita no local. Cinco dos criminosos esconderam o rosto, o que dificulta a identificação e leva a polícia a suspeitar que os ladrões conheciam a família.
O crime foi registrado no 49º Distrito Policial, em São Mateus, mas deve ser encaminhado a uma delegacia especializada em latrocínios do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic).

Fonte: G1

quinta-feira, 27 de junho de 2013

PF prende espanhol suspeito de tráfico durante operação no Rio


  Agentes da Polícia Federal prenderam, durante operação realizada na manhã desta quinta-feira (27), um espanhol de 35 anos suspeito de ser um traficante de drogas com atuação na América do Sul, na Europa e na Oceania. Durante a ação, denominada "Monte Perdido", os agentes apreenderam R$ 20 milhões em bens móveis e imóveis, de acordo com o órgão.


Oliver Ortiz de Zarate Martins foi preso em casa - um apartamento triplex, no Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Contra ele, havia um mandado de prisão por tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. De acordo com a PF, Oliver era proprietário da boate The Room, também na Barra, que fechou, e se preparava para abrir outra casa noturna na Lapa, Região Central da cidade.
As investigações contaram com a colaboração da Receita Federal, das polícias de Portugal e da Austrália e de agentes do Drug Enforcement Administration (DEA), dos Estados Unidos.
Estão na lista dos bens sequestrados do espanhol: um lote de 72 mil metros quadrados em Queimados; um lote  de 36 metros quadrados em Queimados; apartamento na Barra da Tijuca; casa no Joá; prédio da boate The Room, na Lapa; filial da The Room, na Barra e a loja da academia Ordeza, também na Barra.
De acordo com o delegado Paulo Telles, Oliver vai responder pelo crime de lavagem de dinheiro  e pode pegar pena de três até dez anos de prisão. Ele explicou que a rota do tráfico de cocaína para a Europa e a Austrália saía direto da Colômbia e seguia para seus destinos num veleiro.
"Ele não trafica no Brasil. Ele é um grande negociador, um grande fornecedor de drogas para a Austrália e a Europa. Na Austrália, o quilo da cocaína custa mais de R$ 100 mil. Aqui, ele era somente um espanhol com visto de permanência legal, casado e com filho. Um empresário, que embora mal sucedido, já que todos seus negócios faliram, tem um patrimônio de mais de R$ 20 milhões", explicou o delegado.
Bens apreendidos e investigação
Na casa do espanhol, a polícia apreendeu uma Ferrari, duas picapes Hilux, uma moto Harley Davidson, R$ 175 mil, US$ 150 mil e €110 mil. Não foram encontradas drogas ou armas.
Ainda de acordo com a PF, o espanhol não era procurado por nenhum organismo internacional, como a Interpol, por exemplo. Telles contou também que as investigações sobre Ortiz começaram há cerca de um ano, a pedido da polícia australiana. O pedido veio depois que os australianos aprenderam um veleiro com 300 quilos de cocaína e prenderam quatro espanhóis.
"Na ocasião a polícia australiana desconfiava de que o veleiro pertencia ao espanhol, mas não tinha como provar e nos alertou para ficarmos de olho nele. Passamos a investigá-lo e com a ajuda da Receita Federal vimos que ele tinha um patrimônio incompatível com os negócios que mantinha no Rio" acrescentou Telles, destacando que Ortiz mora no Brasil desde 2009. 

Fonte: G1



Morre jovem que caiu de viaduto durante manifestação em BH



Morreu no início da madrugada desta quinta-feira (27) no Hospital Pronto-Socorro João XXIII o jovem Douglas Henrique de Oliveira de 21 anos que caiu do Viaduto José Alencar durante a manifestação em Belo Horizonte, nesta quarta-feira (26), de acordo com a assessoria do Governo de Minas Gerais. O acidente aconteceu perto do Mineirão, na Região da Pampulha, durante o confronto entre a polícia e um grupo de manifestantes. Esta foi a primeira morte nas manifestações na capital mineira.

Mais de 50 mil pessoas fizeram uma manifestação pacífica em Belo Horizonte durante a tarde desta quarta-feira. Mas o protesto terminou com depredação, saques e mesmo incêndio de lojas. As ações foram cometidas por um grupo radical. Até às 21h, a Polícia Militar confirmou 25 detidos suspeitos de vandalismo e outros crimes. Os arruaceiros atiravam pedras e explosivos caseiros contra os militares. O confronto começou na Avenida Abrahão Caram, na Região da Pampulha, no entorno do Mineirão, onde Brasil e Uruguai disputavam a semifinal da Copa das Confederações.
A manifestação se concentrou no início da tarde na Praça Sete, no Centro da capital, com muitas pessoas levando cartazes e faixas com pedidos de melhorias. No trajeto, a recomendação era a de respeitar o bloqueio da PM e não tentar chegar ao estádio.
Durante a tarde, quando a marcha se aproximou da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), vândalos com os rostos cobertos subiram em direção à Av. Abrahão Caram, onde estava localizada uma das linhas de bloqueio da PM.
Parte dos manifestantes fez uma corrente para impedir a chegada à barreira e manter a tranquilidade no protesto, dando recomendações, porém, sem resultado. Os arruaceiros atiraram pedras contra os policiais e devolveram contra os militares as bombas de gás lacrimogêneo lançadas. A PM permaneceu atrás do bloqueio até o início da noite. Eles também carregaram grades retiradas de um dos acessos ao Mineirão.
Neste momento, lojas e concessionárias passaram a ser saqueadas e depredadas. Os vândalos retiraram equipamentos e móveis de uma das revendedoras de veículos para atear fogo. Logo, o incêndio tomou grandes proporções. O fogo acontecia ao lado de um posto de gasolina. Policiais não eram vistos nos locais de maior depredação.
Um grupo quebrou a loja da Kia Motors e invadiu o local. Eles retiraram os tapumes e quebraram vidros. A loja da Hyundai também ficou destruída. A Volkswagen e a Pampulha Car Shopping também foram alvos dos radicais. Funcionários da Kia chegaram a colocar uma faixa antes do protesto dizendo apoiar o movimento, mas "sem violência".
Durante a manifestação, ao menos 18 pessoas ficaram feridas, segundo balanço preliminar. Sete foram levadas para o Hospital Risoleta Tolentino Neves, nenhum deles em estado grave. Eles tiveram escoriações, dor de cabeça e possíveis fraturas. Um jovem de 24 anos teve o olho esquerdo ferido por um objeto não identificado. Outras três pessoas foram encaminhadas ao Hospital Pronto-Socorro João XXIII, entre eles o jovem morto. Outro homem também caiu do viaduto. Em outros protestos também houve quedas.
Outros dois foram para Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da região. Seis receberam os primeiros socorros e liberados em seguida.
No início da noite, por volta das 18h, policiais começaram a ocupar a Avenida Antônio Carlos e as vias no entorno. Muitos carros da corporação, incluindo veículos blindados, transitavam pela cidade. O Regimento da Cavalaria também estava presente. Durante o dia, 1,5 mil oficiais do Exército estiveram a postos na capital mineira para agir em caso de extrema necessidade.
Em nota, a PM explicou a ausência de policiais em alguns momentos de vandalismo. "A Polícia Militar de Minas Gerais teve dificuldades de atuar de forma ostensiva para conter os vândalos que faziam depredações na Avenida Antônio Carlos, no final da tarde e no início da noite dessa quarta feira, porque havia ali uma grande movimentação de manifestantes pacíficos que não estavam envolvidos nas ações de vandalismo no local. Qualquer ação mais brusca da Polícia Militar naquele momento poderia causar pânico nessas pessoas. Além disso, o viaduto que fica na esquina entre as avenidas Antônio Carlos e Abrahão Caram estava repleto de pessoas, sendo um local muito sensível à ação de repressão da polícia. Os policiais militares não insistiram em forçar a passagem por este ponto para evitar uma provável catástrofe”, explicou o comandante-geral da PM, Márcio Sant’Ana.
Ao todo, 5,5 mil policiais foram destacados para a operação de contenção na capital mineira, incluindo 166 homens da Força Nacional de Segurança.
O Comitê Popular dos Atingidos pela Copa (Copac) afirmou que atos de vandalismo não justificam "ação de repressão que coloca a vida das pessoas em risco", o que, segundo os organizadores, ocorreu por parte da PM. "Repudiamos também a violência com que a polícia reprimiu a manifestação, uma vez que tinha plena condição de resistir às provocações de poucos manifestantes para não violar todos aqueles que saíram às ruas para lutar pelos seus direitos", explicou o Copac.
Rodovias fechadas
Após manhã de protestos, houve interdições no trânsito nas rodovias federais da Região Metropolitana de Belo Horizonte, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal. Manifestantes desbloquearam a BR-262, na altura de Juatuba, no início da tarde desta quarta-feira (26). A rodovia ficou fechada nos dois sentidos por mais de cinco horas antes da liberação. Durante o protesto, o policiamento informou que houve bloqueio nos kms 361, 367 e 369. Em um deles, foi reivindicada a construção de uma passarela.
Já na BR-381, que liga Belo Horizonte a Vitória, o km 442, em Sabará, foi liberado por volta das 12h55. Os manifestantes se concentraram no trecho – na altura do distrito de Ravena – desde a madrugada. Pela manhã, também houve bloqueios no km 451, no mesmo município, e no km 503, em São Joaquim de Bicas.
Outra rodovia que ficou fechada foi a MGC-262, também em Sabará. Manifestantes reivindicaram a pavimentação de ruas. O protesto durou mais de sete horas.
Também houve protesto na MG-424, em São José da Lapa, na Grande BH. Já em Vespasiano, o bloqueio ocorreu no km 19. À tarde, trechos já estavam liberados.
As interdições na MG-20, entre Santa Luzia e Jaboticatubas, na Grande BH, fechada nos dois sentidos durante a manhã, e em pontos da BR-381 foram finalizadas. Um dos trechos fica em Carmópolis de Minas, na Região Oeste.

Fonte: G1

terça-feira, 25 de junho de 2013

Em novo protesto, moradores fecham BR-251 por melhorias para o Entorno

Cerca de 300 moradores de Campos Lindos em Cristalina-GO fazem um novo protesto nesta terça (25/6) no km 30 da BR-251. O local é o mesmo onde, na manhã dessa segunda-feira (24/6), duas mulheres que participavam da manifestação foram atropeladas e morreram. Eles pedem a emancipação da região para que o dinheiro arrecadado seja reinvestido na comunidade e a regularização de lotes na área. Pedem também melhorias no transporte público na educação e no sistema de água do bairro. Por conta do ato, os dois sentidos da via foram bloqueadas, com pneus em chamas, e também as pistas alternativas no sentido de Brasília, impedindo o trânsito na região.

 

Várias pessoas que chegavam ontem para protestar viram o momento do atropelamento das duas mulheres, identificadas como Maria Aparecida, 62 anos, e Valdinete Rodrigues Pereira, 40. Testemunhas contaram que o homem chegou a parar o carro, colocou  a mão na cabeça, mas entrou no veículo e fugiu. Pouco depois, o carro foi localizado completamente incendiado. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ainda não está confirmado se o próprio motorista provocou o incêndio, se foram manifestantes ou se ocorreu algum problema resultante do atropelamento. “Familiares do condutor entraram em contato com a polícia e informaram que ele se apresentaria na delegacia de Unaí”, disse o inspetor Tércio Baggio, da PRF. Até o momento, porém, o homem não compareceu à unidade policial.

Fonte: Correio Braziliense

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Militares citam música de Geraldo Vandré para apoiar manifestações pelo País

A Comissão Interclubes Militares divulgou na quinta-feira, 20 de junho, uma nota de apoio às manifestações que tomaram as ruas do País nas últimas semanas. Os clubes militares representam oficiais da reserva, muitos deles defensores da ditadura militar (1964-1985). Ironicamente a nota termina com o verso “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, trecho da música “Pra não dizer que não falei das flores”, de Geraldo Vandré, um clássico da canção de protesto contra a ditadura.
Segundo a nota assinada pelo general Renato César Tibau da Costa, presidente do Clube Militar (Exército), Almirante Pauilo Frederico Soriano Dobbin, presidente do Clube Naval (Marinha), e brigadeiro Ivan Moacyr da Frota, presidente do Clube de Aeronáutica, a onda de protestos “diz respeito às legítimas aspirações da sociedade”.
Na leitura dos clubes militares, as manifestações são uma reação da sociedade à “impostura e impunidade” e ao “descaso das autoridades governamentais”.
O general Benedito Lajoia Garcia, representante do Exército na Comissão Interclubes Militares, evitou comparar o atual momento do Brasil com outras situações críticas da história. "Estamos acompanhando o que está acontecendo. Existe uma inquietude mas a gente ainda não sabe onde vai descambar isso tudo", afirmou.
Segundo o general, por enquanto o maior risco é o de inflitrações de pessoas ou grupos mal intencionados entre os manifestantes. "Grupos radicais de baderneiros se infiltraram nestas manifestações que são da sociedade", disse ele.
No documento, os militares afirmam também que estarão sempre atentos acompanhando a “evolução dos fatos”, antes de encerrar com o verso de Vandré. A música que ficou em segundo lugar no Festival Internacional da Canção de 1968 se tornou rapidamente o hino da resistência à ditadura militar. No mesmo ano, com a decretação do AI-5, Vandré teve que fugir para o Chile e só retornou ao Brasil em 1973.
Hoje afastado da vida artística, ele atua como advogado. Em 2010 concedeu uma entrevista controvertida no Clube da Aeronáutica.

Fonte: Ultimo Segundo

Motorista que atropelou manifestantes na BR-251 vai se apresentar à polícia


Cerca de 500 pessoas realizavam uma manifestação quando um carro avançou contra o grupo. Durante o ato, os dois sentidos da rodovia foram bloqueados

O motorista que atropelou duas mulheres, durante um protesto na BR-251, em Cristalina (GO), cidade do Entorno do Distrito Federal, nesta segunda-feira (24/6), vai se apresentar à polícia, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF). As vítimas, ainda não identificadas - uma delas de 40 anos - morreram no local do acidente. A PRF informou que o motorista entrou em contato com a polícia.
Os dois sentidos da rodovia foram bloqueados com pneus em chamas, causando um congestionamento de pelo menos 1km durante a manhã. A BR-251, que liga Brasília à cidade mineira de Unaí, foi liberada depois das 13h.

Fonte: Correio Braziliense

GO: veículo avança em protesto, atropela grupo e mata duas mulheres

Duas mulheres foram atropeladas e morreram na manhã desta segunda-feira no quilômetro 30 da BR-251, em Cristalina (GO), cidade do entorno do Distrito Federal, durante uma manifestação pela regularização fundiária de um bairro da cidade. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), elas ajudavam a bloquear a pista com pneus quando um veículo Gol avançou e atingiu as vítimas.

O condutor fugiu do local sem prestar socorro às mulheres, que morreram na hora. Às 11h30, os corpos das vítimas permaneciam na pista, aguardando a chegada do Instituto Médico-Legal (IML) do Estado. Os manifestantes estavam revoltados e afirmavam que não iam deixar a rodovia, que estava interditada.

Fonte: Terra

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Tromba-d'água é fotografada na costa dos EUA

Um empresário flagrou uma tromba-d'água nesta quarta-feira (19) em Grand Isle, ilha na costa do estado americano da Louisiana.

A tromba-d'água provocou apenas pequenos danos, segundo o serviço meteorológico dos EUA

 (Foto: Buggie Vegas/AP)


Fonte: G1

quarta-feira, 19 de junho de 2013

PM admite excesso de policial que atacou mulher com spray de pimenta


O coronel Frederico Caldas, relações públicas da Polícia Militar do Rio de Janeiro comentou, em entrevista ao Bom Dia Rio desta quarta-feira (19), sobre a ação de um policial da Tropa de Choque que atacou uma mulher com spray de pimenta enquanto ela circulava pela Praça XV na noite de segunda-feira (17). Segundo ele, houve excesso por parte do policial.
"A gente percebe que há um excesso, principalmente, por se tratar de uma mulher sozinha e dois policiais.  

Não justifica absolutamente dois policiais terem esse tipo de comportamento. Agora a gente tem que analisar o contexto também. Não só em relação a esse fato em si, mas toda a mobilização dessas pessoas. Por parte de alguns manifestantes, há uma postura de absoluta hostilidade, muitos deles atacando aos policiais, é claro que nesse caso não, mas de um modo geral, o emprego da tropa da Polícia Militar tem sido em situações extremas", explicou Caldas.
"Não estamos atuando em condições normais de um controle de distúrbio, mas sim em situações em que há um comportamento absolutamente agressivo por parte dos manifestantes e é por isso que a gente tem feito uma palestra com  os policiais para que eles tenham mais equilíbrio e mais cuidado nessa atuação", completou.
O coronel acrescentou também que as imagens serão analisadas. “Naturalmente será feito todo o trabalho de identificação dessas imagens. Então o que quer que tenha que ser feito pela Polícia Militar, nós faremos de uma maneira muito isenta, muito responsável porque a gente sabe muito bem o papel que a polícia militar tem no sentido de conter mais não de agredir as pessoas", coincluiu o coronel Frederico Caldas.
Flagra do leitor
A ação foi registrada em vídeo pelo fotógrafo Gustavo Domingues de Oliveira. Ele afirma que acompanhava um batalhão que passava pela Praça XV.
O leitor contou que é a mesma mulher que foi mostrada na imagem do fotógrafo da agência Associated Press Victor R. Caivano e que circulou o mundo. Gustavo usava uma câmera que fazia foto e vídeo ao mesmo tempo.
O coronel acrescentou também que as imagens serão analisadas. “Naturalmente será feito todo o trabalho de identificação dessas imagens. Então o que quer que tenha que ser feito pela Polícia Militar, nós faremos de uma maneira muito isenta, muito responsável porque a gente sabe muito bem o papel que a polícia militar tem no sentido de conter mais não de agredir as pessoas", coincluiu o coronel Frederico Caldas.
Flagra do leitor
A ação foi registrada em vídeo pelo fotógrafo Gustavo Domingues de Oliveira. Ele afirma que acompanhava um batalhão que passava pela Praça XV.
O leitor contou que é a mesma mulher que foi mostrada na imagem do fotógrafo da agência Associated Press Victor R. Caivano e que circulou o mundo. Gustavo usava uma câmera que fazia foto e vídeo ao mesmo tempo.

Fonte: G1


segunda-feira, 17 de junho de 2013

Imagens mostram suspeito de matar criança em tentativa de assalto


Imagens de uma câmera de segurança mostram o momento em que o suspeito entra na garagem durante uma tentativa de assalto que acabou com uma criança de 2 anos morta em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, no sábado (15). O menino foi enterrado no domingo (16), na mesma cidade.
As imagens mostram João Pedro Avelar Cotta no colo do pai, Sandro Magno Cotta, enquanto ele manobrava os carros com a mulher, na garagem de casa. Quando ele guardava o último veículo, o suspeito entra no local. Depois disso, o criminoso aparece correndo para fora da residência e Cotta, baleado, atrás dele. 
Segundo a PM, o pai contou que foi abordado pelo suspeito quando entrava na garagem de casa. Ele teria pedido ao suspeito para tirar a criança antes de entregar a chave do carro e abaixou para pegar o filho. Neste momento, de acordo com a polícia, o suspeito fez três disparos. Um deles acertou a criança.
O corpo da criança de dois anos, baleada em uma tentativa de assalto foi enterrado no fim da tarde deste domingo. Em meio a um clima de revolta, parentes e amigos da família participaram do sepultamento de João Pedro, por volta das 17h no Cemitério Municipal da Glória.
Sandro Magno Cotta, que também foi atingido por disparos, estava internado em um hospital da cidade e foi liberado pela equipe médica somente para acompanhar o funeral. Emocionado e amparado por uma cadeira de rodas, o engenheiro, que vestia roupas das unidade de saúde, pediu justiça.
Ele afirma não querer mal ao homem que matou o filho. "Eu quero é justiça. Que as autoridades, Polícia Militar resolva, encontre essa pessoa e faça justiça, que eu não quero fazer justiça com a minha mão, com as minhas mãos. Eu quero só justiça, mais nada", diz.
"Eu estava na garagem da minha casa, com meu filho. A garagem estava aberta, aí passou um menino, entrou dentro da garagem e pediu a chave do carro. Eu pedi para ele calma. ‘Tenha paciência, fica calmo, eu vou te dar a chave’", relata Cotta.
O pai não acredita que os disparos foram acidentais. "Foi consciente, não foi acidental. E meu filho estava no meu braço esquerdo. Então, meu filho recebeu primeiro a bala e ele serviu como escudo pra mim. E esse escudo me salvou, mas matou ele", afirma emocionado.
O assaltante fugiu sem levar nada, e Cotta ainda tentou seguí-lo. "Na hora que meu filho tomou o tiro, eu senti que ele morreu na hora, que o tiro foi no coração. E eu tentei, depois que minha mulher pegou ele, eu tentei correr atrás do cara, mas não consegui correr, porque estava sentindo muita dor no braço. Tomei duas balas aqui no peito", conta.
Pai e filho foram socorridos para um hospital da região, mas o garoto não resistiu aos ferimentos. Após o enterro, Sandro Magno Cotta vai retornar à unidade de saúde e deve ser submetido a uma cirurgia.
Até a publicação desta reportagem, o suspeito não havia sido preso.

Fonte: G1

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Jovem desaparecida é encontrada morta com sinais de estupro no Entorno do DF

A Polícia Civil de Luziânia (GO), região do Entorno do DF, conseguiu localizar o corpo da jovem Indayana de Sousa Leite, de 16 anos, que estava desaparecida desde o último dia 1º de junho no Jardim ABC, próximo a Cidade Ocidental, na região do Entorno. O corpo apresentava sinais de estupro e teve a cabeça esfacelada a pauladas, de acordo com informações da polícia.

A mãe da vítima compareceu a 30ª Delegacia de Polícia em São Sebastião, região administrativa do DF, no dia 2 de junho para informar o desaparecimento da adolescente. Ela teria saído de casa um dia antes para fazer um trabalho escolar. Segundo o delegado Érito Cunha, os vários depoimentos deram conta de que a jovem tinha um comportamento exemplar. O que aumentou a urgência de investigação do caso.
— Nós recebemos muitas denúncias de desaparecimentos aqui em São Sebastião. A maioria delas está relacionada ao tráfico de drogas. Neste caso tivemos uma atenção maior porque a jovem não tinha envolvimento com o mundo do crime. Pelo contrário, de acordo com os depoimentos a vítima era estudante e de comportamento pacato.
 Segundo Cunha, uma testemunha viu um homem conversando com uma jovem num ponto de ônibus em São Sebastião, com as mesmas características da vítima. A testemunha só resolveu denunciar porque era vizinha do suspeito e sabia que ele havia saído da cadeia há dois meses.
Os agentes da delegacia de São Sebastião conseguiram localizar o homem no Jardim Ingá, região do Entorno do DF. José Valdo Alves do Nascimento, de 39 anos, confessou que esteve com a jovem, mas a teria deixado próximo a uma serralheria, da qual ele havia pedido informação do endereço. A polícia puxou a ficha do homem e identificou que ele respondia por dois estupros, um dentro da Papuda, e um atentado violento ao pudor.
Após tomar conhecimento da ficha do suspeito, o delegado Érito Cunha pediu a prisão preventiva, mas teve o pedido negado pela justiça do DF. O suspeito foi encaminhado ao primeiro Distrito Policial de Luziânia, região do Entorno do DF. Lá, ele teria confessado o crime e o local onde deixou o corpo da jovem.
Lindayane de Sousa Leite foi morta a pauladas após ser estuprada em um campo isolado no Jardim ABC, onde o corpo foi localizado no último sábado (8). O acusado segue preso em Luziânia após a justiça de Goiás decretar a prisão preventiva dele. Ele foi indiciado por homicídio qualificado.

Fonte: R7

'É um filme de terror', diz delegado sobre morte de criança, no Ceará

O casal suspeito de matar o filho de três anos e de praticar maus-tratos ao filho mais velho, de cinco, continua preso no 2º Distrito Policial (DP), no Bairro Aldeota, em Fortaleza. As crianças foram encontradas no sábado (7) em um flat, localizado no Mucuripe. "A história é um filme de terror", afirmou o delegado Luiz Carlos Dantas, que acompanha o caso.
o pai "suspeito de matar o filho"

Uma testemunha, que não quer ser identificada, relata que o pai das crianças desceu do quarto e pediu um transporte para levar o menino que havia acabado de morrer. "Vi a criança deitada na cama com os braços abertos e com manchas no rosto e na cabeça. A mãe estava triste, mas não estava desesperada. A outra criança estava no braços do pai e pigarreava bastante, mas não sei se ele estava gripado", conta.
De acordo com a polícia, os pais das crianças são um holandês de 32 anos e uma cearense de 24, natural de Camocim, a 362 quilômetros de Fortaleza. Os dois foram autuados, pela delegada Juliana Pinheiro, do 2º DP, pelos crimes de homicídio (infanticídio) e maus-tratos a vulnerável. Segundo o delegado, a mãe das crianças disse, em depoimento, que só tinha permissão do marido para falar uma vez por semana, por telefone, com outras pessoas, e na presença dele. "Não se pode dizer que ela estava em cárcere privado", diz.  
De acordo com polícia, a criança que morreu apresentava sinais de espancamento, como lesões no rosto e no corpo. O irmão de vítima, de cinco anos, com sinais de subnutrição, foi encaminhado para o Hospital Infantil Albert Sabin. "A criança de três anos, aparentava ter apenas um, e a de cinco, aparenta ter uns três", diz o delegado Luiz Carlos Dantas. Segundo ele, na geladeira do apartamento não havia nenhum alimento. As duas crianças também não tinham registro de nascimento.
A prisão do holandês deverá ser comunicada à Superintendência da Polícia Federal que vai averiguar a situação dele no país. O corpo da criança foi periciado já foi liberado pela Perícia Forense, mas ninguém foi buscá-lo até a tarde de domingo (9). A polícia vai entrar em contato com a família da mãe das crianças para que seja providenciado a retirada do corpo.
Fonte: G1/CE

Preso ex-marido suspeito de matar juíza dentro de Fórum em MT


Foragido há três dias, o enfermeiro Evanderly de Oliveira Lima foi preso na manhã desta segunda-feira (10) em uma região de mata perto de  Alto Taquari, a 509 quilômetros de Cuiabá. Ele teve a prisão decretada por suspeita de assassinar a tiros a ex-mulher dele, juíza Glauciane Chaves de Melo, dentro do Fórum da cidade, no gabinete onde ela trabalhava. Policiais militares conseguiram chegar até ele após seguir as pegadas que ele havia deixado.
Conforme a Polícia Militar do município, desde a madrugada desta segunda-feira os policiais seguiam as pistas, que teriam fundamento, já que a marca era do solado de um tênis. Testemunhas haviam repassado que, na data do crime, o suspeito usava tênis. "Os sinais mostram que ele intercalava, andava um pouco de tênis e depois percorria outra distância a pé", disse um policial militar da cidade. Ele deve ser levado para a Delegacia de Polícia Civil de Alto Taquari para prestar depoimento.
Cerca de 100 policiais militares e civis atuaram nas buscas pelo suspeito. Foram mobilizados agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do Grupo de Operações Especiais (GOE), além da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que montou barreiras nas vias de acesso aos estados de Mato Grosso do Sul e Goiás.
Durante as investigações, de acordo com a Polícia Civil, testemunhas informaram que a magistrada vinha recebendo ameaças do ex-marido, porém, não havia registrado nenhuma queixa contra ele. "Ele não teria planejado matá-la, mas estava muito perturbado", disse o delegado João Ferreira Borges Filho, responsável por investigar a morte da juíza.
A juíza estava separada do suspeito desde dezembro do ano passado. Ela tomou posse como juíza em junho de 2012 e os dois se mudaram de Belo Horizonte (MG) para Alto Taquari.
Fonte: G1

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Segundo 'TMZ', filha de Michael Jackson se cortou com uma faca de cozinha.


Paris Jackson deixou uma carta antes  de tentar suicídio na madrugada da quarta-feira, 5. A informação é do site "TMZ", que diz que  o conteúdo da carta não foi revelado. O site também relata que a filha de Michael Jackson usou uma faca de cozinha para cortar seu pulso direito.
Ainda segundo o site, ela ligou para um número que atende pessoas pensando em suicídio e a pessoa que a atendeu ficou assustada o suficiente para fazer a ligação para a emergência. Fontes também contaram ao site que ela também tomou várias pílulas do remédio Motrin, um analgésico.
Paris está internada na ala psiquiátrica do hospital West Hills em Los Angeles, na Califórnia, e recebeu vários pontos no braço por causa do corte. Ela ficará internada por pelo menos 72 horas.
Depressão e recados no Twitter
Paris Jackson foi levada ao hospital depois de uma tentativa de suicídio na madrugada desta quarta-feira, 5. Segundo o site "TMZ", a filha de Michael Jackson deixou sua casa em Calabasas, na Califórnia, de maca às 2h.
De acordo com a "People", Paris estaria deprimida com a proximidade do aniversério de morte do pai. "Ela sente muito a falta do pai. Ela era o centro do mundo de Michael e é tudo diferente agora. Ela diz que está sozinha e que ela não se sente amada", disse uma fonte.



Debbie Rowe, mãe de Paris, confirmou a tentativa de suicídio ao programa "Entertainment Tonight" e seu advogado divulgou um comunicado da família sobre a internação: "Agradecemos a preocupação de todos com Paris e pedimos respeito pela privacidade da família neste momento."
O site "Radar Online" informa que Katherine Jackson, avó e guardiã legal de Paris, está no hospital com ela. Uma fonte da publicação disse ainda que os médicos acreditam na total Recuperação da menina. Segundo a revista "Us Weekly", Paris sofre de depressão: "Ela tem sérios problemas de depressão e muito por causa da morte do pai. É bem real e muito triste. Ela tem estado bastante deprimida e não consegue dormir à noite. Fica acordada a noite toda", disse uma fonte da publicação. Katherine disse à "People" que Paris agora está "bem fisicamente" e recebendo atendimento médico. "Ser sensível aos 15 anos de idade, é difícil, não importa quem você é. É especialmente difícil quando você perde a pessoa mais próxima a você".

Já o "TMZ" relata que esta não foi a primera vez que a menina tentou suicídio: "Ela tentou o mesmo no passado, mas desta vez foi bem mais sério. Não é um pedido de ajuda." O site também mostrou imagens de Paris com machucados no pulso.


Na terça-feira, 4, ela postou mensagens enigmáticas em seu Twitter: "Eu me pergunto por que as lágrimas são salgadas" e citou um trecho de "Yesterday", música dos Beatles: "Ontem parecia que meus problemas estavam longe, agora parece que eles estão aqui para ficar".
"Algumas coisas são normais para adolescentes, são alterações hormonais. Mas agora é sério", diz a fonte. "Paris disse que há algo faltando em sua vida. Este é um grito de socorro", disse a fonet da "People".

Em 2001, Debbie abriu mão dos direitos de criar seus filhos, mas recentemente, Paris retomou a relação com a mãe. As duas foram fotografadas juntas em um haras na Califórnia e repetiram o passeio dias depois.
 "Paris é muito infeliz e sozinha. Ela está vivendo neste lugar onde não há segurança, com tios e todos esses parasitas. E ela está sozinha. Essa é uma das razões ela estendeu a mão para Debbie Rowe - ela quer uma família, ela perdeu o pai dela", disse a fonte da "People".
fonte: ego globo

Google proíbe aplicativos pornô no Google Glass

Empresa mudou política para aplicativos desenvolvidos para o aparelho.
'Tits and Glass' permite compartilhar fotos sensuais feitas pelo Glass.
O Google mudou na segunda-feira (3) as políticas de uso do Google Glass, seu óculos de realidade aumentada, que proíbem o uso e o desenvolvimento de "qualquer aplicativo com conteúdo sexual".

Isso impede que o aplicativo “Tits and Glass” (Seios e Glass, em tradução livre), apresentado na segunda-feira, seja distribuído. Ele permite que seja possível compartilhar com outros usuários do app as fotos sensuais tiradas com o aparelho, comentar as imagens e votar nas favoritas.
As novas regras do Google para o óculos Glass diz: "não permitimos qualquer aplicativo para o Glass que contenham nudez, ato sexual explícito ou imagens com conteúdo sexual."
O programa é disponibilizado pela MiKandi, uma loja de aplicativos que se orgulha de “tratar adultos como adultos”.
Quem ainda não possuir um exemplar do Glass pode acessar o “Tits” por meio de navegadores na internet. De acordo com os criadores, mais de 10 mil visitantes únicos acessaram o site na segunda-feira. Eles afirmaram ao site "Mashable" que ainda não foram notificados pelo Google.
Google Glass é, por enquanto, utilizado apenas por desenvolvedores, e deve chegar às lojas apenas no fim de 2013 ou começo de 2014.
Outras companhias já adaptaram seus serviços e sites para o Google Glass, como Twitter e Facebook.
Mas esse é o primeiro pornográfico para o dispositivo. A situação é semelhante ao que ocorreu com o Vine, rede social de vídeos curtos do Twitter. Assim que foi lançado no começo do ano, uma série de micro vídeos pornográficos se disseminou na rede e perfis especializados foram criados.
O detalhe é que, assim como no Twitter as mensagens são reduzidas a 140 caracteres, os vídeos postados no Vine têm duração de somente seis segundos.
fonte: g1 globo

Justiça de Goiás marca audiência de agressora de Yorkshire de Formosa

A Justiça de Goiás definiu a data da audiência da enfermeira Camila Correia, acusada por maus-tratos de um cachorro da raça yorkshire. O juiz da 2ª Vara Criminal de Formosa, Fernando Oliveira Samuel, marcou o julgamento para 31 de julho. As agressões ao animal ocorreram há dois anos.

O juiz ouviu as testemunhas do caso nesta quinta-feira (6/6). O Ministério Público (MP) e a defesa de Camila requereram que outras testemunhas sejam chamadas para prestar depoimento. A enfermeira ainda não foi ouvida.

Relembre o caso

A sessão de espancamento ocorreu em 13 de novembro de 2011. Um dos vizinhos de Camila gravou um vídeo enquanto ela espancava o cachorro na frente da filha, no apartamento da família, no Setor Formosinha, bairro da cidade. A filmagem mostra Camila chutando e arremessando o animal contra a parede, além de jogá-lo diversas vezes no chão e bater a cabeça com um balde vazio. Por fim, enquanto agonizava, a mulher colocou o objeto sobre o cão.

O cachorro chegou a ser levado para uma clínica veterinária por policiais militares e bombeiros, mas não resistiu aos ferimentos e morreu dois dias depois.

Fonte: Correio Braziliense

Filha é suspeita de matar a própria mãe para receber seguro no Rio

Uma menor de idade é suspeita de matar a própria mãe Adriana Moura de Rocha Miranda, de 43 anos, na casa da família no Cachambi, no Subúrbio do Rio, por enforcamento. Segundo a polícia, a garota, que teve a ajuda do namorado para queimar e esconder o corpo, é lutadora de muai thai e aplicou um golpe chamado "mata leão" na mãe. O casal namorava há apenas quatro meses.
De acordo com o delegado Antônio Ricardo Nunes, titular da 32ª DP (Taquara), a mãe não aprovava o relacionamento e os dois teriam interesse em uma quantia de R$ 15 mil de um seguro da vítima. O crime foi cometido no dia 25 de maio.
“Ela é fria e calculista. Os dois confessaram o crime. Nós quebramos o sigilo telefônico e colocamos os dois na cena do crime. Eram provas que não tinham como ser contestadas, então, eles realmente confessaram o crime”, declarou o delegado em entrevista ao RJTV.
A menor foi apreendida na tarde de quarta-feira (5), junto com o namorado. Segundo os policiais, Daniel Duarte Peixoto, de 20 anos, estava na casa da jovem no momento do crime.
Morta com golpe de luta
A menina, que pratica muay thai, deu um golpe chamado mata-leão e enforcou a mãe dentro de casa. Às 4h do dia 25 de maio, ela abriu a porta da casa para que o namorado entrasse e ajudasse a retirar o corpo da casa.

A menor chegou a pedir dinheiro aos funcionários da Ourotáxi para procurar o corpo da mãe no IML e em hospitais. Eles chegaram a dar R$ 60 à menina.
O delegado informou ainda que Daniel pode pegar de 20 a 30 anos de prisão. “Nós solicitamos que eles comparecessem ao terreno de Duque de Caxias e não temos dúvida que ela quem planejou e ela quem fez o que conhecemos como ‘mata leão’”, afirmou Nunes.
A menor foi levada para o Degase e o rapaz para a Polinter. Ambis responderão por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.
O delegado quebrou o sigilo telefônico do casal, viu câmeras da secretaria de segurança e ouviu testemunhas. Ele confessou o crime na quarta-feira (5) de manhã e a menor no período da noite.
Na delegacia, Daniel negou o assassinato e disse que apenas ajudou a namorada a se desfazer do corpo. Ele também disse estar arrependido por sua participação no crime.  A menor confessou ao delegado que planejou e executou o crime sozinha e afirmou que o namorado a ajudou a levar o corpo.
Corpo queimado
Ainda segundo as investigações, depois que foi morta, os dois queimaram o corpo na própria casa e o abandonaram num terreno em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com o comentarista da TV Globo Rodrigo Pimental, o legista constatou que a arcada dentária é mesmo da mãe da jovem. Ainda de acordo com Pimentel, a menor só pode ficar presa por três anos.

Na manhã desta quinta, um parente da moça disse que desde que o relacionamento começou a menina mudou de comportamento. A família está inconformada com o crime. "A sensação é de muita tristeza. Estamos profundamente inconformados com o desfecho do caso. É triste concluir que a própria filha foi a autora", disse um parente, que preferiu não se identificar.
Amiga foi à delegacia
Fabiana Lopes era amiga de Adriana há 11 anos e esteve na delegacia na tarde desta quinta-feira (6) para cobrar explicações do casal. "Está tudo acabado. Ela [a menor] fez 17 anos agora no dia primeiro de junho. A gente sempre fazia festinha para ela. [Depois da morte da mãe], ela me ligou todos os dias. Ontem [quarta, (5)], ela me ligou 23h para dizer que tinham chamado ela na delegacia. Eu pedi que ela falasse a verdade".

Fabiana disse ainda que Adriana reprovava o namoro do casal. E que esteve com os dois um dia após o crime. "Estive com os dois dentro da casa. Abracei eles, beijei. Falei com eles que ia dar certo, que a gente ia achar a Adriana. Achei que ela [a menor] estava calma. Achei normal por ela ser adolescente, que poderia estar em estado de choque. Ela confessou para mim ontem à noite no telefone. Pedi que ela só falasse a verdade [para a polícia]."
O caso lembra um outro assassinato que aconteceu em São Paulo e chocou o país. Em 2002, Suzanne Von Richtoffen matou os pais com a ajuda do namorado e do irmão dele, Daniel e Christian Cravinhos. Cada um deles foi condenado a mais de 38 anos de prisão.
Fonte: G1

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Bandidos ameaçam atear fogo em criança durante assalto a casa na Grande SP

Quatro bandidos roubaram uma casa em um condomínio fechado na manhã desta quarta-feira (5), em Caieiras, na Grande São Paulo. Na ação, eles chegaram a jogar álcool em uma criança, ameaçando atear fogo, caso a família não colaborasse. O crime aconteceu por volta das 8h e os bandidos fugiram levando o carro e objetos de valor da família. Até o início desta tarde, ninguém havia sido preso.
Quando a PM foi acionada, os suspeitos já tinham fugido. O carro usado para entrar no local foi abandonado na região e já foi apreendido. Ninguém da família ficou ferido. De acordo com a Associação Amigos Proprietários Parque Suíça, eles estavam apenas assustados já que o filho, que não teve a idade divulgada pela polícia, estava com o corpo encharcado de álcool.
De acordo com a PM, os bandidos chegaram ao condomínio, que fica na Estrada de Santa Inês, em um carro preto informando que iriam atravessar para acessar outra rodovia — prática usual no local. No meio do caminho, parte do bando desceu, deixando apenas o motorista no veículo. Ele, então, seguiu para a saída, de forma que não despertou a atenção dos vigilantes.
Paralelamente, os bandidos que haviam descido, invadiram uma residência na rua Suíça. Eles entraram no local armados com duas metralhadoras e pistolas e anunciaram o roubo. Depois de pagar todos os objetos, o bando saiu tranquilamente no carro da família sem ser parado no condomínio.

Os prejuízos ainda não foram contabilizados e a polícia continua às buscas pelos suspeitos. O condomínio dispõe de câmeras vigilância, que flagraram o momento da entrada do bando no local. As imagens podem ajudar na captura dos suspeitos.

O caso será registrado no 1º Distrito Policial de Caieiras, na avenida Paulicéia, 839, no bairro de Laranjeiras.

Fonte: R7