sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Mulher descobre que era considerada morta há 4 anos em Pelotas, RS



A auxiliar de produção Daiane Madeira da Silva, de 27 anos, descobriu no último final de semana que era considerada morta há quatro anos pelos registros do Rio Grande do Sul, como mostra reportagem do RBS Notícias (veja no vídeo ao lado). O erro, corrigido na quinta-feira (11), não a impediu de realizar vestibular, comprar um carro, abrir conta em banco e votar nas últimas eleições em Pelotas, no sul do Rio Grande do Sul

A descoberta foi feita quando Daiane teve a bolsa roubada e, dentro dela, a carteira de identidade. Ao chegar à delegacia, descobriu que não poderia registrar ocorrência porque, de acordo com os registros, havia morrido em março de 2008 em Novo Hamburgo, na região do Vale do Sinos. Assim, não poderia obter novos documentos. “Cheguei como vitima e saí como suspeita porque aparecia como morta desde 2008”, lamentou Daiane.
O problema foi identificado pelo Instituto Geral de Perícias (IGP). Daiane foi confundida com o adolescente Diaine Madeira da Silva, de 15 anos, que morreu em março de 2008 na cidade do Vale do Sinos. Funcionários do cartório da cidade afirmam que houve um erro do IGP durante a baixa dos documentos.
Depois de quase uma semana, Daiane já pode recuperar os documentos. Ainda assim, ela pensa em processar o estado pelos transtornos que o problema causou. “Agora posso dirigir, estou viva de novo. Ressuscitei”, brinca a auxiliar de produção.
O IGP afirma que o erro foi cometido em 2009, período em que aconteceram outras ocorrências semelhantes envolvendo estagiários. O órgão garante que os problemas já foram solucionados.
Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não deixe de comentar !!!!!!